Províncias

Novos casos da doença do sono foram diagnosticados no Bengo

Pedro Bica | Caxito

Os serviços do Instituto de Combate e Controlo da Tripanossomíase (doença do sono) do Bengo, diagnosticaram de Janeiro a Dezembro do corrente ano, um total de 52 casos de infecção.

Mais de 50 casos diagnosticados este ano
Fotografia: Jornal de Angola

Os serviços do Instituto de Combate e Controlo da Tripanossomíase (doença do sono) do Bengo, diagnosticaram de Janeiro a Dezembro do corrente ano, um total de 52 casos de infecção.
A informação foi divulgada na quarta-feira no Caxito, pelo responsável do Instituto António Moio, que referiu que este número representa uma diminuição na ordem dos 21 por cento em relação a 2009. Dos infectados, três morreram.
António Moio disse ainda que durante este ano, 3.070 pessoas realizaram os testes com principal realce para os municípios do Nambuangongo, Ambriz, Bula Atumba, Icolo e Bengo e Dembos.
O responsável dos serviços do Instituto de Combate e Controlo da Tripanossomíase revelou que o número de casos tem vindo a diminuir nos últimos tempos, devido às campanhas de sensibilização que são realizadas junto das comunidades pelo Instituto de Combate e Controlo das Tripanossomíases. A mensagem tem sido difundida aos jovens e estudantes da província, para que aos poucos a sociedade adopte mudanças de comportamento na prevenção e tratamento da doença.
Na ocasião, António Moio disse ser preocupante o facto de muitas pessoas não aderirem ainda às campanhas de luta contra a doença do sono, desprezando as palestras e os conselhos fornecidos por técnicos do sector.   
O sector das tripanossomíases no Bengo tem 72 técnicos e apenas um médico, que tem como missão a erradicação da doença do sono. Para o próximo ano está agendado a continuação das campanhas de sensibilização e para a melhoria da qualidade dos serviços, onde há mais casos da doença.
Com uma população estimada em 500 mil habitantes, que na sua maioria pratica agricultura e pesca artesanal, a província do Bengo possui apenas quatro centros de testagem no Ambriz, Dande, Dembos e Icolo e Bengo 

Tempo

Multimédia