Províncias

Número de consumidores aumenta em Bula Atumba

Edson Fontes | Bula Atumba

Mais de 6.500 pessoas da sede municipal do Bula Atumba, na província do Bengo, vão beneficiar de água potável, com o fim da execução das obras de reforço do sistema de abastecimento local, um projecto evolutivo que vai até 2050, anunciou ontem o fiscal geral da empreitada.

Fotografia: JAImagens | Edições Novembro

João Muhongo avançou que o sistema, que prevê a instalação de 92 chafarizes, numa primeira fase, está avaliado em mais de nove milhões de dólares, financiados pela linha de crédito da China.
Da responsabilidade do Ministério da Energia e Águas e fiscalizada pela Direcção Nacional de Água, a obra arrancou a 24 de Fevereiro deste ano e tem a duração de 12 meses. Com este sistema, fica reforçado o sistema de água de Bula Atumba. O referido sistema de Bula Atumba está composto pela captação, linha de tratamento, adução, reservatórios e redes de distribuição, que contempla mais de 590 ligações. De igual modo, o fiscal da empreitada disse que a execução física tem enfrentado alguns constrangimentos, visto que Bula Atumba é uma área onde chove muito.
João Muhongo explicou que o empreiteiro foi designado em Fevereiro e tinha um período de 60 dias, para fazer a mobilização do aproveitamento técnico e material, que inclui o recrutamento do pessoal local. Considerou que as obras decorrem a bom ritmo, contando, numa primeira fase, com 60 empregos directos e 20 indirectos. Destes há um grupo de cinco jovens a beneficiar de uma formação “on job”, para assegurarem o futuro da empresa.

Novo sistema de captação

O período de experimentação é de dois anos e em 2020 ou 2021 termina o período de ensaios, para que se entregue o projecto à Administração Municipal.
Para o início das obras, João Muhongo disse que foi necessário desfazer todo o sistema antigo que levava água bruta à conduta, um percurso que avançava até ao casco urbano e depois, através do sistema de bombagem em que era distribuído à população.
João Muhongo referiu que este projecto apresenta muitas inovações, pois pode levar a água bombeada até à quota 850, para ser tratada e automaticamente armazenada e distribuída.
A capacidade instalada cobre mais de 50 metros cúbicos de água por hora, assim como tem um sistema de armazenagem de 800 metros cúbicos.
Além do sector das águas, decorrem  na região diversas acções de impacto social que visam melhorar  a qualidade de vida da população.

Tempo

Multimédia