Províncias

População tem dificuldade de deslocação

A população da localidade do Kirindo, a cerca de quatro quilómetros da cidade de Caxito, província do Bengo, solicitou ontem às autoridades competentes a instalação de uma ponte metálica sobre o rio Dande.

No passado a zona tinha uma ponte de betão que foi destruída durante o conflito armado
Fotografia: Arimateia Baptista | Eduições Novembro

A falta da ponte tem dificultado a vida das famílias camponesas e dos estudantes, que para saírem do Kirindo utilizam pequenas canoas rudimentares com riscos de naufragar no rio.
Ana Maria, moradora na localidade, esclareceu, à margem do acto da entrega de chapas de zinco na segunda-feira a 56 famílias sinistradas pelas chuvas, que para atravessar o rio   desembolsa todos os dias 100 Kwanzas.
O rio é  temido pela comunidade devido à presença constante de jacarés, que muitas vezes se aproximam  da orla do rio pela manhã.
O morador Domingos Manuel afirmou que a instalação de uma ponte sobre o rio Dande permite ao Governo estender os projectos sociais com menos dificuldades e potenciar o desenvolvimento da comunidade do Kirindo.
Domingos Manuel pediu ao Governo do Bengo instrumentos de trabalho e fertilizantes para  o desenvolvimento de projectos agrícolas.

Ponte de betão


O presidente da comissão de moradores da localidade do Kirindo, Pedro Julião Neto, lembrou que no passado a zona tinha uma ponte de betão,  destruída durante a guerra. “Na altura a região contava com mais de dois mil habitantes, mas dadas as dificuldades actuais, sobretudo de travessia e o custo de vida cada vez mais alto, muitas famílias decidiram abandonarem a localidade” A localidade do Kirindo conta com duas escolas, sendo uma com seis salas de aulas e outra com duas. Os estabelecimentos acolhem mais de 400 alunos da primeira à sexta classes. As aulas são leccionados no períodos da manhã e da tarde. Os alunos que transitam para a sétima classe são transferidos para a cidade de Caxito.
“Há  necessidade da construção de mais salas de aulas, com vista a enquadrar as crianças fora do sistema de ensino”, disse Pedro Julião Neto, para acrescentar que a localidade do Kirindo dispõe de energia eléctrica, mas o grande problema dos moradores reside na falta de instalação de contadores nos domicílios, o que obriga os consumidores, muitas vezes, a pagarem pelos serviços valores na ordem dos 500,00 kwanzas  e 2.500,00 kwanzas.
 Pedro Julião Neto disse que a população consome água não tratada, proveniente do rio Dande e, por isso, solicitou ao Governo do Bengo a instalação de um sistema de captação, tratamento e abastecimento de água. “Para atenuar a situação tem-se sensibilizado as famílias para ferverem a água para o consumo ou a colocar lixívia”.
“Quanto à saúde, a localidade do Kirindo possui um posto médico e os serviços são assegurados por três técnicos e um enfermeiro e as patologias mais frequentes são a malária, as doenças respiratórias agudas e a  diarreia”, informou Pedro Julião Neto. 
A localidade do Kirindo dista  cerca de quatro quilómetros  de Caxito. Conta com uma população estimada em 380 habitantes que se dedicam à agricultura.

Tempo

Multimédia