Províncias

Produtos deteriorados por falta de transporte

César André | Nambuangongo

Cerca de sete toneladas de diversos produtos da cooperativa agropecuária de Quissekela, Nambuagongo, plantados no âmbito do projecto “Vem Comigo”, deterioraram-se, nos últimos dias, devido à falta de escoamento para Luanda.

O projecto visa garantir formação aos deficientes físicos de guerra actualmente mendigos
Fotografia: Jornal de Angola

Cerca de sete toneladas de diversos produtos da cooperativa agropecuária de Quissekela, Nambuagongo, plantados no âmbito do projecto “Vem Comigo”, deterioraram-se, nos últimos dias, devido à falta de escoamento para Luanda.
Samuel Paquissi, coordenador da região norte do projecto, que visitou, no sábado, aquela localidade, disse que entre os produtos deteriorados se destacam milho, banana, batata rena, mandioca, tangerina e limão.
Apesar dos prejuízos registados nesta época agrícola, os agricultores, garantiu, não cruzaram os braços e continuam apostados em inverter o quadro, mas, frisou, é urgente que se resolva a questão dos transportes para os produtos não continuarem a estragar-se.
Na visita à cooperativa de Kissekela, o coordenado do projecto “Vem Comigo” entregou cinco kits de agricultura constituídos por catanas, enxadas, machados, alfaias e dois pulverizadores, além de uma moto serra, uma vez que há muita madeira na região.
A cooperativa agropecuária de Kissekela, que tem 470 hectares, é constituída por 76 agricultores, entre deficientes e ex-militares.
O projecto ”Vem Comigo” começou, em Abril de 2003, no município do Dande, Bengo, numa cerimónia presidida pela Primeira-Dama, Ana Paula do Santos, na condição de presidente da Fundação de Solidariedade Social “Lwini”.
O projecto financiado pelo Ministério da  Administração Pública, Emprego e Segurança Social, administrado pela Fundação Lwini e coordenado pela Associação do Deficientes de Angola, tem o objectivo de inserir no mercado do trabalho deficientes físicos de guerra.

Tempo

Multimédia