Províncias

Professores aprimoram conhecimentos

Maiomona Artur | Caxito

A directora da escola do ensino especial de Caxito revelou, segunda-feira, que a instituição prevê realizar, este ano, várias acções de formação para professores.

Estudantes com deficiência vão passar a ter melhores condições de aprendizagem
Fotografia: Eduardo Cunha

A directora da escola do ensino especial de Caxito revelou, segunda-feira, que a instituição prevê realizar, este ano, várias acções de formação para professores.
 Os professores, disse Feliciana Bartolomeu, vão ser formados nas áreas de deficiência auditiva, visual, físico motora, mental, intelectual, transtorno de linguagem e em deficiências combinadas.
Feliciana Bartolomeu afirmou que a formação vai, de certo modo, contribuir na melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem nas crianças com deficiências e elaborar com clareza os planos de aulas.
 Além da formação de professores, referiu a directora, a escola do ensino especial de Caxito pretende ampliar as salas.
A direcção, anunciou também, traçou políticas de educação cívica para deficientes, com a promoção de debates e palestras junto da comunidade e comunicação social sobre a situação, direitos e deveres dos portadores de deficiências.
 Além disso, afirmou, quer criar um núcleo da associação de estudantes da escola do ensino especial e incentivar os deficientes já formados a procurarem o primeiro emprego. No ano transacto, matricularam-se 63 alunos da primeira à nona classe, com várias deficiências. Registaram-se 34 aprovações e 16 desistências.
A falta de máquinas braille, bengalas, transportes colectivos para alunos e funcionários da escola, material didáctico, ampliação da escola e televisores, referiu, são principais problemas para o normal funcionamento da escola.
 A escola do ensino especial tem seis professores e só funciona na sede do Dande.

Tempo

Multimédia