Províncias

Projecto beneficia famílias de Ibêndua

Alfredo Ferreira | Caxito

Um total de 56 famílias de ex-militares foram envolvidos num projecto de aquicultura, lançado ontem, na localidade da Ibêndua, no município do Dande, com vista a aumentar a produção de pescado.

Pescadores da provincia continuam a receber incentivos ao fomento da actividade
Fotografia: Edmundo Eucilio | Caxito

O projecto, lançado oficialmente pela ministra das Pescas, Vitória de Barros, na presença do governador do Bengo, João Miranda, tem um ciclo anual de produção de cinco a seis meses, que pode resultar em mais de três toneladas de pescado. Esta estimativa pode render aproximadamente um milhão de kwanzas.
Além das famílias de ex-militares, a iniciativa vai beneficiar outros membros da comunidade, que conta com oito cooperativas, com sete beneficiários cada.
O empreendimento dispõe de seis tanques de engorda de 200 metros quadrados e uma profundidade de metro e meio. Compreende ainda uma área agrícola, tanque de decantação, jango de apoio, moto-bomba e uma zona de transformação e processamento do pescado.
A ministra das Pescas entregou aos beneficiários kits para a construção de tanques de desenvolvimento de cacusso e bagre. Vitória de Barros disse que o projecto vai permitir o fomento da piscicultura na localidade de Ibêndua, incentivar o associativismo e o cooperativismo, através de  instalações de tanques de reprodução e comercialização do pescado.

Apoio a particulares

O apoio ao sector privado vai estimular mais empresários a aderir a este projecto, de modo a diversificar a economia, disse Vitória de Barros.
A responsável salientou igualmente que o Executivo pretende fazer da província do Bengo um pólo de desenvolvimento da aquicultura, para estimular o sector privado. Realçou que a província possui recursos hídricos consideráveis e tem um clima propício ao desenvolvimento da aquicultura.
Vitória de Barros disse que o projecto vai aumentar significativamente a oferta de cacusso e bagre no país, produtos alimentares muito consumidos pela população. Com a reprodução destas espécies em tanques de água, é possível substituir as importações, sublinhou a ministra das Pescas.

Tempo

Multimédia