Províncias

Responsáveis da cadeia apostam no ensino

Maiomona Artur | Caxito

O director adjunto da cadeia da Caboxa disse ao Jornal de Angola que é importante apostar na formação académica e profissional dos reclusos de forma contínua.

Na cadeia de Caxoba há cinco salas onde são ministradas aulas de alfabetização e aceleração escolar
Fotografia: Jornal de Angola

Mário Francisco afirmou que a formação passa pela  alfabetização dos que não sabem ler nem escrever correctamente e que  o processo de reeducação se destina a fazer perceber aos reclusos a importância da actividade agrícola e da  formação profissional para quando saírem em liberdade conseguirem mais facilmente emprego.
As organizações da sociedade civil e das Igrejas que promovem acções de formação na cadeia, referiu, têm sido importante porque estes contactos levam os reclusos a reflictirem seriamente sobre a vida que devem levar.
Na cadeia de Caxoba há cinco salas, onde são ministradas aulas do primeiro ciclo, segundo Mário Francisco. “Estamos a desenvolver esforços para no próximo ano a penitenciária ter o ensino médio para permitir que muitos dos presos saiam daqui formados e com outra mentalidade”, declarou.
Os pastores de algumas Igrejas que realizam cultos na província do Bengo, disse, têm levado aos sábados e aos domingos mensagens de Deus e o Evangelho.
Mário Francisco anunciou para breve o lançamento na cadeia do Caboxa do programa “Novo Rumo e Novas Oportunidades”, cujo objectivo é formar presos em varias áreas.
O programa, referiu o director da cadeia, abrange, numa primeira fase, as províncias do Bengo, Lunda-Sul, Uíge e Luanda.
A cadeia de Caboxa desenvolve este ano um projecto de avicultura e de criaçao de gado bovino destinado à alimentação dos presos.
O estabelecimento, com capacidade para 1.068 presos, tem actualmente 879, dos quais 721 já na condição de condenados e dispõe de posto médico.
Uma aposta da direcção da cadeia, onde trabalham 300 pessoas, além da formação académica e profisional dos detidos, é modernização dos serviços de telecomunicações, apetrechamento do estabelecimento com meios técnicos modermos e a aquisição viaturas.

Tempo

Multimédia