Províncias

Seca assola populações da comuna de Kicabo

ALFREDO FERREIRA | Kicabo

A seca que assola, há dois anos, a aldeia do Tomba, na comuna do Kicabo, município do Dande, província do Bengo, está a deixar a população sem comida e água para consumo.

População está a ser apoiada
Fotografia: Edmundo Ecílio

A seca que assola, há dois anos, a aldeia do Tomba, na comuna do Kicabo, município do Dande, província do Bengo, está a deixar a população sem comida e água para consumo.
Esta situação é vivida em doze das 27 comunidades que compõem a referida circunscrição, que tem uma população com cerca de 1.779 famílias. A maioria dos seus habitantes pratica a agricultura.
As poucas chuvas que caíram na região deixaram os campos já cultivados totalmente secos, sem possibilidades para a colheita dos produtos semeados. Assim, para garantirem a alimentação, a população tem de recorrer, muitas vezes, à múcua, extraída do embondeiro, árvore que abunda na localidade.
Para beber, segundo constatou a reportagem deste diário, os habitantes de Kicabo são obrigados a percorrer cerca de cinco quilómetros em busca de água, embora imprópria para o consumo humano.
Para acudir a população da fome e da falta de água potável, o governo provincial do Bengo levou à aldeia de Tomba, a mais assolada pela crise, 380 sacos de arroz, 20 de açúcar, 380 de fuba de milho e 100 sacos de sal.
Fizeram ainda parte deste lote de ajudas, 221 caixas de óleo alimentar e igual número de peixe seco, 199 barras de sabão, 90 caixas de conservas de peixe.
A directora provincial da Assistência e Reinserção Social, Anastácia Vasconcelos, disse que o governo decretou o estado de emergência, devido à situação da estiagem na comuna de Kicabo.
Enquanto não chover, segundo a responsável, as autoridades governamentais vão continuar a fornecer alimentação e água potável para os habitantes das comunidades que se encontram nesta situação.

Tempo

Multimédia