Províncias

Serviços de prevenção já são pagos

Alguns serviços de prevenção de riscos e incêndios em casas e recintos devem ser pagos pela população actualmente, disse sexta-feira, na cidade de Caxito, província do Bengo, o comandante provincial do Serviço de Bombeiros, Mateus Júlio Manuel Vunda.

Efectivos do Corpo de Bombeiros estão prontos para acudir situações que requerem a sua intervenção
Fotografia: Manuel Distinto

Alguns serviços de prevenção de riscos e incêndios em casas e recintos devem ser pagos pela população actualmente, disse sexta-feira, na cidade de Caxito, província do Bengo, o comandante provincial do Serviço de Bombeiros, Mateus Júlio Manuel Vunda.
Em declarações à Angop, o responsável disse que os serviços a serem pagos são os de limpeza da via pública, em virtude de derrames provocados por negligência, aberturas de portas bloqueadas e desencravamento de elevadores acima do 3º andar (quando oferecer perigo).
Constam, igualmente, destes serviços, a remoção de viaturas, os cursos de brigadas e bombeiros (privativos e voluntários), o resgate de viaturas e outros objectos valiosos no fundo marinho ou aquático, bem como os serviços de ambulância.
O responsável salientou que serviços como o de protecção de salas de espectáculos ou recintos de diversão pública, para acudir a eventuais incêndios, serão também remunerados.
Constam ainda desta lista a manutenção e recarga de extintores, material de combate a incêndios, a montagem de sistema contra incêndios em residências familiares, condomínios imobiliários, estabelecimentos escolares e comerciais.
A autoridade realçou que a medida está em vigor desde 22 de Junho último, por via do decreto executivo conjunto nº 81/09 de 13 de Agosto, que estabelece a cobrança de taxas pela prestação de serviços.
Mateus Júlio Vunda explicou que as receitas darão entrada na Conta Única do Tesouro Nacional, da qual 40 por cento dos valores constituirão dotação do Orçamento Geral do Estado, que, por transferência, será atribuída ao Serviço de Bombeiros.
Mateus Vunda deu ainda a conhecer que, em casos de utilização indevida do equipamento de segurança contra incêndio e a recusa de inspecção pelo corpo de Bombeiros, será aplicada uma multa aos infractores.

Tempo

Multimédia