Províncias

Turismo necessita de investimentos

Pedro Bica | Caxito

O turismo constitui uma das principais fontes de riqueza da província do Bengo, dispondo de grandes espaços de interesse que despertam a atenção de qualquer visitante. 

Director de Hotelaria João da Costa
Fotografia: Edmundo Eucílio

O turismo constitui uma das principais fontes de riqueza da província do Bengo, dispondo de grandes espaços de interesse que despertam a atenção de qualquer visitante.   
Os locais de interesse turístico que têm atraído a maior parte dos turistas são a Coutada do Ambriz e as belas e paradisíacas praias da Pambala, no município do Dande. A estas juntam-se as praias da Barra do Dande, Kifuca, Inhembe, Kincancala, quedas do rio Luvi, Nvunguna e Kilungo.
Na província existem ainda outros espaços considerados cartões de visita, como as lagoas da Kiminha, Ibendua, Sungui, Úlua, Morime, Loge, os rios Onzo e Dande.
O santuário da Igreja da Santa Ana, a Fortaleza do Ambriz, o Túmulo de Dom Afonso Maleka, Marco de Kaculo Kahenda e o Fortim do Kiage, são também locais que servem de atracção turística.
Apesar de tudo isso que a natureza oferece, a região está desprovida de unidades hoteleiras e similares de grande porte, o que dificulta, em grande medida, a excursão dos apreciadores das belezas naturais.
Os empresários pretendem dar um maior impulso às áreas turística e apontam a falta de energia eléctrica e água potável como os principais obstáculos. Outro problema mencionado tem a ver com as vias de acesso e a inexistência de locais de acomodação.
Dos seis municípios que compõem a província, cinco dependem de pequenos grupos geradores. O município do Dande é o único que beneficia de energia.
A comuna da Barra do Dande, com um vasto litoral, possui cerca de 30 quilómetros de costa marítima, onde abunda grande diversidade de peixe, dois grandes rios e quatro lagoas.Após a reabilitação do seu principal troço rodoviário e a inauguração da ponte sobre o rio Dande, destruída durante a luta pela Independência Nacional, aos poucos a Barra do Dande está a marcar passos rumo ao desenvolvimento.
Diariamente, muitas pessoas circulam no troço Luanda/Barra do Dande, em direcção ao município do Ambriz. O mesmo percurso dá igualmente acesso à província vizinha do Zaire.
Hoje, a vila tornou-se num dos pontos importantes do turismo e de travessia de bens e serviços essenciais básicos às populações locais, bem como das localidades que fazem fronteira com a vila piscatória.
Para os apreciadores das belezas paradisíacas, a comuna da Barra do Dande é fértil em paisagens naturais, devido ao cruzamento do rio Dande com a zona costeira do Oceano Atlântico.
Na Barra do Dande, a estrada oferece segurança aos automobilistas que aí se deslocam para usufruírem do seu potencial turístico e aos poucos observa-se, embora de forma tímida, o surgimento de pequenos empreendimentos do ramo hoteleiro e similares. O director Provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo do Bengo, João da Costa, disse que o governo da província aguarda por investidores.
O aldeamento turístico Pasárgada e o Turitanga, o ponto turístico do Açude, em Caxito e áreas de laser do Panguila e do Paradiseo recebem os visitantes.

Oportunidades

Com a remoção das minas e a reabertura das vias de acesso, as populações do Bengo começaram a regressar às suas zonas de origem. O movimento de pessoas e bens trouxe consigo um crescimento considerável do comércio praticado, essencialmente, por mulheres e jovens.
A Agricultura é dos sectores que mais cresceram com o regresso das populações às suas zonas de origem.  A reactivação da indústria começa também a dar os primeiros passos na região. A reposição da Administração do Estado em todas as comunas permitiu maior aproximação das autoridades às populações. Também foi possível reabilitar e construir algumas infra-estruturas sociais básicas que viabilizaram a vida normal da população.

Bancos Comerciais

Quase todos os bancos comerciais que operam em Angola possuem balcões no município do Dande e alguns no Ambriz. As agências bancárias têm sido o suporte da actividade económica e empresarial local.
Graças à acção de fomento dos bancos comerciais nascem na vila de Caxito alguns empreendimentos do ramo hoteleiro de pequeno porte e outros pequenos negócios individuais, de associações, cooperativas e de jovens empreendedores.

Tempo

Multimédia