Províncias

Unidade sanitária de referência é necessária

Valter Gomes | Quitexe

O município do Dange Quitexe, no Uíge, necessita de um hospital de referência, capaz de oferecer serviços mais humanizados à população, disse ao Jornal de Angola o director municipal da saúde.  

Maior centro de saúde da localidade sem capacidade para dar resposta à demanda
Fotografia: Mavitidi Mulaza

Kuavita Gabriel disse ser urgente a construção de uma unidade sanitária com mais capacidade, com banco de urgência, ortopedia, cirurgia, pediatria, maternidade, medicina, bloco operatório, imagiologia, vacinação, Raio-X, laboratórios e outras áreas capazes de resolver os casos graves que ocorrem no município do Dange Quitexe.
O director municipal da saúde do Dange Quitexe explicou que o maior centro de saúde da localidade não tem capacidade técnica nem humana para dar resposta aos inúmeros casos que dão entrada na unidade sanitária.
Além da população do município, o centro presta assistência a doentes das localidades de Quipedro, no município de Ambuíla, Bolongongo, na província do Cuanza Norte e de outras zonas próximas da circunscrição.
Com capacidade para 19 camas, a unidade sanitária dispõe de serviços de consultas pré-natais, planeamento familiar, consultas externas, hemoterapia, radiologia, banco de urgência, centro de aconselhamento, testagem voluntária do VIH/Sida e do Programa de Combate à Malária. A equipa técnica conta apenas com dois médicos e 19 enfermeiros, o que Kuavita Gabriel considerou insuficiente para garantir a assistência médica e medicamentosa à população.
“Temos de melhorar os serviços de saúde. Todos os dias, os nossos técnicos recebem casos graves de acidentes de viação. Mas, por falta dos serviços de ortopedia e cirurgia estamos impossibilitados de prestar uma assistência condigna aos pacientes traumatizados”, disse.
A rede sanitária da localidade é composta por quatro centros de saúde, um na sede municipal e três na periferia, além de 12 postos médicos. O sector controla 42 enfermeiros e dois médicos.
Para reforçar e aproximar cada vez mais os serviços de saúde às populações do município, estão a ser construídas unidades de saúde nas localidades com maior densidade populacional.

Casos de malária

Entre os meses de Janeiro e Abril deste ano, foram notificados no município do Dange Quitexe 2.756 casos de malária, tendo resultado em um morto. Comparativamente a igual período do ano anterior, houve uma redução significativa de doentes com malária, fruto das palestras promovidas pelos técnicos de saúde nas comunidades, campanhas de sensibilização e distribuição de mosquiteiros tratados com insecticidas à população.
O director da Saúde, Kuavita Gabriel, informou que no município foram cridas equipas que vão ao encontro da população residente nas zonas mais recônditas, onde não existem unidades sanitárias, que realizam consultas pré-natais, vacinam as crianças e sensibilizam a população sobre as regras de higiene, entre outras acções que estão a contribuir na redução de várias patologias.
Com uma extensão territorial de 3.872 quilómetros quadrados, o município do Dange-Quitexe possui três comunas - Aldeia Viçosa, Vista Alegre e Cambambe - 75 aldeias, 17 regedorias e uma população calculada em 47.877 habitantes, na sua maioria, camponeses.

Tempo

Multimédia