Províncias

Vila de Quibaxe melhora distribuição

Alfredo Ferreira | Quibaxe

O acesso à água potável pela população da vila de Quibaxe, no município dos Dembos, conhece melhorias significativas, desde segunda-feira, com a inauguração de um centro de captação, tratamento e distribuição pelo governador em exercício do Bengo, Domingos Guilherme.

População da região deixa de percorrer longas distâncias e de recorrer aos rios e cacimbas para ter água em condições para o consumo
Fotografia: Edmundo Eucílio

O director nacional das Águas, Lucrécio Costa, referiu que a rede de distribuição é de 30 quilómetros, que permitiu a realização de 1.053 ligações em diferentes partes daquela vila, além da existência de dez chafarizes.
As obras de construção do centro de captação, tratamento e distribuição, que tem uma capacidade para bombear 70 litros de água por dia, ficaram orçadas em 55.807.421 kwanzas. Lucrécio Costa adiantou que o centro foi construído no âmbito do programa “Água para Todos”, para intervenção nas capitais provinciais e sedes municipais, numa iniciativa do Gabinete da Presidência da República, devendo beneficiar 9.318 habitantes da região.
Explicou que o projecto prevê, igualmente, a construção de outros centros nos municípios de Bula Atumba e Pango Aluquém, com o objectivo de suprir as dificuldades das populações das referidas zonas da província do Bengo.
O director nacional das Águas considerou o programa um desafio que vai ser implementado a nível de todo o território nacional, tendo já abrangido a província do Cuando Cubango, além da do Bengo.
Acrescentou que a execução do programa vai permitir que se leve água tratada para 132 sedes municipais, tendo apelado as comunidades para garantirem a sustentabilidade dos equipamentos.
O governador em exercício do Bengo, Domingos Guilherme, apelou à população da vila de Quibaxe para preservar as infra-estruturas do centro, para que o mesmo possa funcionar de forma plena e garantir-se a sua durabilidade.
Domingos Guilherme referiu ainda que, para se efectuar a manutenção do sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável, é necessário que cada habitante da região contribua com o pagamento do consumo, numa altura em que a província tem já aprovada uma tarifa de pagamento.
A inauguração da infra-estrutura faz parte do leque de actividades que marcam as festividades do município dos Dembos, que completou 95 anos, quinta-feira última, desde que foi elevado à categoria de vila.

Casos de malária


Pelo menos, oito pessoas morreram no primeiro semestre deste ano, contra duas do mesmo período do ano anterior, no município dos Dembos, província do Bengo, revelou ontem, em entrevista ao Jornal de Angola, o director municipal da Saúde.
Sabino Laurindo Fernando disse que houve um aumento de seis casos, por causa do aumento de mosquitos, capim alto e deficiente saneamento básico na circunscrição.
Acrescentou que foram testadas no período em referência 58.268 pessoas no Programa de Luta contra a Malária, com 51.006 casos positivos. O responsável garantiu que os técnicos do Programa de Luta contra a Malária no município dos Dembos vão continuar a intensificar as palestras de sensibilização e capacitação do pessoal de saúde, de forma a atender as mulheres grávidas e crianças que acorrem às unidades hospitalares existentes.
A partir deste semestre, serão distribuídos mosquiteiros impregnados, destinados a crianças e mulheres grávidas. Sabino Laurindo Fernando adiantou que o sector conta no seu stock com reagentes, material gastável, mosquiteiros tratados com insecticida de longa duração, assim como anti-palúdicos para o tratamento de casos simples e graves.
Para a redução dos casos e mortes por malária, outros mecanismos, como a pulverização nas zonas urbanas e o tratamento intra-domiciliar nas áreas periféricas serão implementados, garantiu o director municipal da Saúde.
O responsável lamentou a falta de técnicos de oftalmologia, radiologia e de imagiologia no Hospital Regional dos Dembos, o que faz com que os pacientes sejam forçados a procurar tratamento noutras paragens. Além da malária, as unidades sanitárias da região têm registado outras doenças como hipertensão arterial, diarreias agudas e anemia. 

Gravidez precoce

O director municipal da Saúde mostrou-se preocupado com o aumento de casos de gravidez precoce, que dão entrada diariamente na unidade sanitária.
Segundo o responsável, são atendidos diariamente 15 a 30 casos de menores com idades compreendidas entre os 14 e os 16 anos e sem condições físicas para suportar uma gravidez, o que tem originado muitos partos prematuros e o recurso a cesarianas.
Sabino Fernando apontou a falta de diálogo entre pais e filhos como sendo a causa do aumento de gravidez precoce no município dos Dembos , uma realidade que  pode acarretar sérios riscos às mães e bebés, pelo facto de o canal uterino não apresentar a dimensão suficiente para um parto normal.

Tempo

Multimédia