Províncias

Benguela está sem emitir cartas de condução

António Gonçalves |Benguela

A província de Benguela está desde Novembro de 2015 sem emitir cartas de condução, o que obriga os automobilistas a revalidar, de 90 em 90 dias, o Verbete Provisório, nos Serviços de Viação e Trânsito.

Viação e Trânsito em Benguela necessita de mais meios
Fotografia: Edições Novembro

De acordo com o director provincial de Benguela dos Serviços de Viação e Trânsito, superintendente-chefe António Ngussi, a suspensão deveu-se ao facto de num acidente rodoviário ter sido notória a falsificação do documento, devido à sua vulnerabilidade, tendo em conta o facto de ser emitido manualmente e a fotografia colocada de forma fácil, através de colagem.
“Urgiu a necessidade de a Direcção Nacional dos Serviços de Viação e Trânsito uniformizar a emissão, só que estamos a aguardar até agora”, explicou o responsável dos Serviços de Viação e Trânsito, para quem a província actualmente já conta com uma parte do mobiliário para a acomodação dos efectivos, bem como o sinal conectado à base de dados nacional, aguardando-se pelas obras de requalificação da infra-estrutura que vai acomodar os serviços", disse António Ngussi.

Vítimas de acidentes
Oficiais e subchefes da Polícia Nacional dos dez municí-pios da província de Benguela estão, desde sábado, a ser formados sobre princípios de socorro a vítimas de acidentes rodoviários.
A acção formativa está a ser promovida pelo Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional, em parceria com o Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA), e visa dotar os participantes de novos métodos de socorro às vítimas de acidentes no local do sinistro. Para o médico Victorino Jamba, representante do INEMA em Benguela, durante os primeiros socorros os agentes da Polícia devem ter sempre em conta o estado neurológico das vítimas no local do acidente.
“É importante que se comunique com o paciente e a partir do local do acidente se pergunte ao paciente como se chama, onde e com quem vive e quantos anos tem, para saber qual é o seu estado neurológico”, enfatizou o médico, para quem, se o paciente responder a essas perguntas de forma normal “significa que está dentro da sua normalidade neurológica”.
A acção formativa conta com a participação de mais de 400 efectivos da direcção de Viação e Trânsito e do Comando Provincial de Benguela da Polícia Nacional.

Tempo

Multimédia