Províncias

Acção formativa melhora o ensino

O chefe da secção de ensino da Direcção Provincial da Educação de Benguela, Januário Chitungo Albino, considerou que a formação ajuda os professores a melhorar a qualidade do processo de ensino e aprendizagem, quando falava  no encerramento do curso de técnicas de laboratório de química.

Os 34 professores que beneficiaram da acção formativa constituem uma bolsa de formadores para que a partir das suas escolas possam ajudar os demais no manuseio dos instrumentos laboratoriais.
“Esta formação deve ajudar os demais professores no a usar o laboratório no processo de ensino e aprendizagem”, disse, afirmando que a Direcção Provincial de Educação em Benguela espera mudanças no ensino da disciplina da química na província.
Januário Albino referiu que  a formação contínua deve ser feita para a superação dos aspectos em que os professores demonstram fragilidade. “A vertente de trabalhos entre professores e alunos, em contexto de laboratório, constitui ainda problema em muitas das nossas escolas”, disse Januário Chitungo Albino.
Para melhorar esta situação, afirmou, o Governo, através do Ministério da Educação, colocou em primeiro plano a formação e superação profissional dos seus quadros e, por esta razão, a acção formativa é prova evidente do engajamento do sector na qualificação contínua dos professores.
O seminário formou 34 professores que leccionam a disciplina de Química no ensino secundário das escolas de formação geral de professores e do ensino técnico profissional da província de Benguela sobre técnicas de laboratório.
Durante a formação foram abordados, entre outros temas, a  manutenção de aparelhos de laboratório, reacções químicas, como se usam os materiais de laboratórios e como manusear os produtos de laboratórios.

Tempo

Multimédia