Províncias

Adolescentes são formados em Benguela

Trinta adolescentes de rua em Benguela vão beneficiar, em Fevereiro próximo, de uma formação profissional nas áreas de informática, serralharia metálica, culinária e decoração de eventos, numa iniciativa da Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social.

A directora do Minars, Marinela Sendala, disse à Angop que a formação, com aulas teóricas e práticas, terá a duração de seis meses e conta com a parceria de uma ONG, responsável pela gestão do programa concebido. A formação faz parte do plano de desenvolvimento do sector para 2017, que busca reintegrar na sociedade tais adolescentes, entre rapazes e raparigas, sem nenhuma ocupação.
No fundo, como explica, trata-se da implementação de um programa de reabilitação baseado na comunidade, a funcionar desde o ano passado, tendo já beneficiado 20 adolescentes indicados pelo Inac (Instituto Nacional da Criança), que antes passavam a maior parte do tempo na rua.Os beneficiários frequentam aulas na Oficina Integrada Comunitária - no bairro Calossombequa, periferia da cidade de Benguela, e a Direcção da Assistência e Reinserção Social garante ajuda financeira para as matrículas, no montante de cinco mil kwanzas cada.
Marinela Sendala disse que o sector conta actualmente com oito centros que, na prática, se traduzem em oficinas integradas comunitárias nos municípios do Lobito e da Ganda, absorvendo, na sua maioria, jovens dos 15 aos 18 anos em situação de pobreza.
Para a responsável, aliar a teoria à prática no decurso da formação profissional é determinante para preparar os adolescentes para as novas exigências da sociedade, numa perspectiva de inclusão.
Reiterou o compromisso do sector na defesa dos direitos dos grupos mais vulneráveis.

Tempo

Multimédia