Províncias

Antigos combatentes e famílias recebem ferramentas e sementes

Maximiano Filipe | Benguela

O Governo Provincial de Benguela ofereceu equipamentos agrícolas à cooperativa dos militares das extintas FAPLA, na povoação da Chimboa, a 16 quilómetros da cidade da Ganda.

Associação de ex-FAPLA estão apostados na integração dos seus associados em vários sectores principalmente na agricultura
Fotografia: Pedro Miguel

O Governo Provincial de Benguela ofereceu equipamentos agrícolas à cooperativa dos militares das extintas FAPLA, na povoação da Chimboa, a 16 quilómetros da cidade da Ganda.
A cooperativa recebeu 73 charruas, um tractor e alfaias, três motobombas de grande dimensão, uma tonelada de sementes de milho e igual quantidade de sementes de hortícolas. Esta acção serviu para assinalar a passagem do 36º aniversário das FAPLA e do nono aniversário da Associação de Apoio aos Combatentes das FAPLA (ASCOFA).
Para além da entrega dos instrumentos agrícolas, o acto serviu para o lançamento de um projecto agro-pecuário que vai beneficiar 200 militares das extintas FAPLA e seus familiares.
Os antigos militares vão explorar uma área agrícola de 400 hectares para produção de cereais, hortícolas, tubérculos e outros produtos para o sustento das famílias e venda dos excedentes. O projecto está a ser desenvolvido pelo Governo Provincial nos municípios de Benguela, Balombo e Caimbambo.
De acordo com o delegado provincial da Associação de Apoio aos Combatentes das FAPLA, António dos Santos, estão inscritos na associação, 10.669 militares das FAPLA, incluindo viúvas e órfãos de guerra registados pelo Instituto de Reintegração Social dos ex-Militares (IRSEM) na qualidade de parceiro institucional.
O surgimento da Associação de Apoio aos Combatentes das FAPLA exprime a vontade dos ex-militares em ajudar o Executivo na solução dos problemas que os afectam, datada de Janeiro de 2001, que passou a ser assinalada como o dia da sua constituição que ocorre a 1 de Agosto de cada ano, o dia consagrado às Forças Armadas Angolanas (FAA).  
Acrescentou que o processo de reintegração dos antigos militares tem merecido a atenção do Governo Provincial apesar de ainda haver desempregados, por lhes ser exigida formação profissional, idade até 35 anos e experiência de trabalho.
António dos Santos sublinhou que a criação de cooperativas agro-pecuárias através do Instituto de Reintegração Social dos ex-Militares e a execução de projectos de impacto imediato têm vindo a suprir as necessidades dos associados, pois até ao momento foram desenvolvidos dois projectos de grande dimensão na comuna da Canjala no município do Lobito, integrando 61 associados, e outro na povoação das Bimbas, arredores da cidade de Benguela, com 63 beneficiários.
Outras realizações de impacto l que visam garantir o auto sustento dos ex- militares e suas famílias continuam a ser desenvolvidas pelo Governo Provincial em parceria com  a Associação de Apoio aos Combatentes das FAPLA, como a instalação de moagens, serralharias, fábricas de blocos, postos de vendas de medicamentos e cantinas em todos os municípios da província, frisou o delegado da  Associação de Apoio aos Combatentes das FAPLA.
O vice governador de Benguela para a área técnica, Eliseu Epalanga, que esteve presente na cerimónia, sublinhou que a entrega dos instrumentos agrícolas insere-se no programa do Executivo para a reinserção socio-económica dos antigos militares das FAPLA e antigos combatentes.

Tempo

Multimédia