Províncias

Antigos militares em Chimboa reforçam mecanização no campo

A capacidade de produção agrícola a nível da povoação de Chimboa, no município da Ganda, está mais reforçada desde ontem, após os associados da Cooperativa de Produção Agrícola dos ex-Militares das FAPLA terem beneficiado de um tractor com as respectivas alfaias.

Agricultura é um dos sectores que contribui grandemente para a integração social e económica dos desmobilizados em quase todo o país
Fotografia: Arão Martins

Entregues pela Associação de Apoio aos Combatentes das ex-FAPLA (Ascofa), os meios visam, segundo o delegado da instituição em Benguela, António Tchinhama dos Santos, um maior rendimento e uma participação activa dos associados no processo produtivo, para a diversificação da economia.
Tchinhama dos Santos referiu que a instituição tem como prioridade o desenvolvimento da actividade agro-pecuária, cuja cooperativa agrícola, com 200 hectares de terra, integra igual número de associados e está apostada no cultivo de milho, feijão, massambala e hortícolas.
Explicou que, no quadro do sistema de produção, vai ser criada uma certa sustentabilidade na vida das pessoas e, sobretudo das famílias dos ex-combatentes das FAPLA, diminuindo, assim, as dificuldades que ainda enfermam o bem-estar social dos associados.
O delegado provincial da Ascofa acrescentou que durante a visita efectuada à cooperativa beneficiária foi feito um levantamento das necessidades que se impõem, com base no plano de contingência recebido do corpo directivo da associação, de modo a colocar-se à disposição dos ex-combatentes todos os imputs indispensáveis para o relançamento da próxima campanha agrícola.
O responsável garantiu uma participação activa da cooperativa agro-pecuária das ex-FAPLA naquilo que é o seu objecto social, defendendo a necessidade da replanificação dos meios então alocados aos associados, para a obtenção de rendimentos esperados. Salientou que a Ascofa controla actualmente em Benguela 14.523 associados, parte destes reintegrados em actividades socioprodutivas, em que muitos oficiais reformados beneficiam de uma pensão na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas.
Tchinhama dos Santos referiu que, comparativamente aos períodos anteriores, há diferenças significativas na melhoria das condições de vida dos associados, dada a iniciativa criadora dos próprios. O responsável considerou a agricultura como um dos sectores que pode contribuir grandemente para a integração socioeconómica dos ex-militares, daí avançar que a distribuição de tractores e de outros meios às cooperativas criadas pela Ascofa vai continuar. Neste momento, com a recepção desse tractor, a Cooperativa Agro-Pecuária de Chimboa passa a contar com dois meios para mecanização agrícola e duas moto-bombas, no âmbito da reintegração socioprodutiva de ex-FAPLA.

Tempo

Multimédia