Províncias

Associação de pescadores tem mais meios de trabalho

António Gonçalves | Benguela

A Cooperativa de Pesca do bairro Quioche, em Benguela, está melhor equipada para exercer a actividade, após a recepção sexta-feira de cinco embarcações movidas a motor, no âmbito do programa municipal de apoio à pesca artesanal e de combate à fome e pobreza.

Cooperativa do bairro Quioche está melhor equipada para realizar as actividades
Fotografia: António Gonçalves | Benguela

A entrega dos bens, em cerimónia testemunhada pelo secretário do Estado para a Aquicultura, Zacarias Sambeni, e pelo governador Isaac dos Anjos, constitui o início de um programa que visa a renúncia da pesca por arrasto, também conhecida por “banda banda”, que se pratica em toda a costa marítima do país.
O administrador municipal de Benguela, Leopoldo Muhungo, afirmou que a entrega de cinco das dez embarcações previstas faz igualmente parte de um projecto que consiste na identificação das necessidades dos pescadores e na definição do número de pequenas embarcações. O objectivo desta actividade, referiu o administrador municipal de Benguela, é garantir maiores e melhores facilidades no trabalho dos pescadores localizados nos bairros do Quioche, Casseque Marítimo e Casseque Macau.
Leopoldo Muhongo acrescentou que, no âmbito do programa, os beneficiários das embarcações renunciam igualmente à pesca por arrasto, desfazendo-se das redes que utilizavam, por considerarem este processo prejudicial à fauna marinha.
O responsável da Associação de Pesca do bairro do Quioche, Pais Pinto, avançou que os reembolsos são efectuados num período de até cinco anos.
A Cooperativa de Pesca do bairro do Quioche controla 16 armadores, apesar de nem todos estarem filiados na organização.

Tempo

Multimédia