Províncias

Benguela aposta na erradicação da malária

Maximiano Filipe | Benguela

O director da Saúde em Benguela disse numa palestra subordinada ao tema “Doenças Causadas por Vectores,

População aconselhada a procurar as unidades sanitárias logo após os primeiros sintomas
Fotografia: Dombele Bernardo |

Pequenas Picadas, Grandes Ameaças” que os casos de malária na província diminuíram consideravelmente devido à melhoria da qualidade dos serviços.
Na palestra, realizada no âmbito do Dia Mundial da Saúde, Barnabé Lemos salientou que a entrada em funcionamento dos testes de diagnóstico rápido, o alargamento da rede sanitária aos municípios do interior e comunas, bem como o reforço da reserva de medicamentos permitiram a diminuição dos casos de malária na região.
O orador referiu que devido aos esforços do Executivo, várias doenças têm merecido atenção diferenciada por constituírem problemas de saúde pública e salientou a importância da divulgação, nas comunidades, dos métodos mais eficazes de protecção da malária, entre os quais se contam a utilização de mosqueteiros impregnados, como recomenda a Organização Mundial da Saúde.
O director Barnabé Lemos lembrou que os serviços de saúde têm mosquiteiros para as mulheres que realizam a sua primeira consulta em qualquer unidade sanitária e para as crianças que terminam o círculo de vacinação.
O director provincial da Saúde em Benguela também realçou a importância da higiene pessoal, do vestuário e do que se tem em casa e pode atrair a mosca preta provocadora de doenças.
O orador sugeriu que haja cuidados na protecção pessoal sempre que se limpar a casa, eliminarem charcos e tratar do lixo.
Sobre a data que se comemorava disse ser uma oportunidade para os profissionais do sector e a população reflectirem sobre o que tem de ser feito para melhor a saúde de todos.
O atendimento personalizado, referiu, dever ser pilar fundamental dos profissionais da saúde, bem como as acções educativas que garantam melhorar o controlo das doenças provocadas por vectores. Bernabé Lemos anunciou para este ano a realização permanente de programas de educação para as pessoas participarem directamente na manutenção da saúde colectiva.
No ano passado, disse, registaram-se na província 114.689 casos de malária, 1,5 por cento dos quais resultaram em óbitos.
A palestra foi antecedida de consultas gratuitas externas em todas as unidades de saúde da província de Benguela, mas também de aconselhamento e testagem voluntária do VIH/Sida, sobre formas de tratar a água de consumo doméstico e medição da tensão arterial.

Tempo

Multimédia