Províncias

Benguela tem mais uma dúzia de escolas

Jesus Silva | Lobito

A província de Benguela conta, para o presente ano lectivo, com 12 novas escolas, num total de 230 salas, disse, na quarta-feira, no município da Catumbela, o vice-governador de Benguela para a área política e social, Eliseu Epalanga.

A província de Benguela conta, para o presente ano lectivo, com 12 novas escolas, num total de 230 salas, disse, na quarta-feira, no município da Catumbela, o vice-governador de Benguela para a área política e social, Eliseu Epalanga.
O dirigente, que falava por ocasião do acto provincial da abertura do ano lectivo, acrescentou que foram matriculados este ano 618.957 alunos, dos quais 16.152 no sector privado. Benguela possui 1.159 escolas, com 4.939 salas, número que, como afirmou Eliseu Epalanga , é insuficiente para a população escolar da província.
O vice-governador  acrescentou que o governo provincial de Benguela vai expandir este ano a distribuição de merenda escolar a todos os municípios, abrangendo mais de 200 mil alunos.

Material escolar

A província de Benguela, tal como as demais, recebeu material escolar para ser distribuído de forma gratuita aos alunos. “Esperamos que os directores das escolas, os professores e pessoal administrativo o façam chegar aos destinatários”, recomendou Eliseu Epalanga.  O vice-governador da província de Benguela apelou aos pais e encarregados de educação para se assumirem como co-responsáveis na formação e educação dos seus filhos, dialogando com as direcções das escolas e professores e informando-se sobre o rendimento escolar dos seus educandos.
Destacou o trabalho “árduo, patriota e responsável” dos professores e responsáveis escolares espalhados por toda a província, que, ignorando as dificuldades que ainda prevalecem no sector, afirmam-se como verdadeiros profissionais e asseguram o processo de ensino e aprendizagem nos lugares mais recônditos e inacessíveis do território da província de Benguela.

Ensino especial

Já o director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia em Benguela, Nelson da Conceição, reiterou os desafios do sector para reduzir o número de crianças fora do sistema de ensino.
“O sector da Educação deve ser visto num prisma multissectorial, para que se consiga reduzir o elevado número de crianças fora do sistema normal de ensino e o insuficiente número de infra-estruturas escolares”, considerouo o director da Educação, Ciência e Tecnologia.  Nelson da Conceição disse haver um défice de 2.373 de salas em toda a província de Benguela, para inserir as crianças que estudam ao ar livre, sobretudo no ensino primário. Reconheceu que a qualidade do ensino ainda não atingiu os níveis desejados e prometeu medidas para corrigir a situação.
Garantiu maior atenção à saúde e desporto escolar, às crianças com necessidades educativas especiais, à alfabetização, merenda escolar e o aumento da disciplina e organização interna dos distintos departamentos da direcção provincial de Benguela da Educação.
Ainda no capítulo disciplinar, a acção vai incidir sobre as direcções de escolas e docentes que teimam em fazer cobranças anárquicas nos actos de matrícula, numa clara afronta às normas e instituições criadas, fazendo da aflição e desgraça dos outros um meio para negócio fácil e enriquecimento indevido, segundo Nelson da Conceição.   A anteceder o acto, procedeu-se à reinauguração da escola nº 8 “Comandante Dangereux”, que foi reabilitada e ampliada, passando de 13 para 23 salas, com novas áreas de serviço, que vão beneficiar professores, alunos e pessoal administrativo.

Tempo

Multimédia