Províncias

Capacidade de produção aumentou em Benguela

Domingos dos Santos | Benguela

As obras de ampliação e modernização da Central de Emulsão de Benguela, uma das três existentes no país, permitiu aumentar a capacidade de produção, de 50 para 200 toneladas de material asfáltico, para protecção de estruturas de pavimento e tapa buracos nas províncias do Centro e Sul do país.

O director provincial do Instituto de Estradas de Angola, Henriques Vitorino, explicou que inicialmente a Central de Emulsão tinha capacidade diária de produção e armazenamento de 50 toneladas, com uma produção de dez toneladas por hora.
A grande procura por material asfáltico fez com que o Ministério da Construção, através do Instituto de Estradas de Angola, decidisse ampliar e modernizar a Central de Emulsão de Benguela, em duas fases, a primeira entre 2004 e 2006 e a segunda entre 2008 e 2012, disse o director provincial do Instituto de Estradas de Angola.
“Neste momento conseguimos ter em stock 850 toneladas de matérias-primas e 200 toneladas de produtos de emulsão acabados”, disse Henriques Vitorino, acrescentando que estão agora em condições de responder as necessidades das empresas de construção civil.
 “Inicialmente era uma estrutura com um trabalho mecanizado, que hoje passou a ser mais automatizado”, disse o director provincial do Instituto de Estradas de Angola, referindo que a central funciona com 12 trabalhadores, número que deve aumentar, devido às exigências de trabalho e às necessidades do mercado local.

Acções formativas

A central conta com um conjunto de caldeiras para o aquecimento do asfalto e dos demais elementos da fábrica, um laboratório para análise e controlo de qualidade das emulsões, alem de cisternas de asfalto e água.
Os 12 trabalhadores vão beneficiar de uma formação na província do Namibe, em função das novas tecnologias que estão a ser aplicadas nas três Centrais de Emulsão existentes, nomeadamente nas províncias de Benguela, Luanda e Namibe.
Técnicos de construção civil contactados pela nossa reportagem garantem que os trabalhos de reabilitação e ampliação de estradas passa a ser mais facilitado.

Tempo

Multimédia