Províncias

Centenas de técnicos são formados na região

Um total de 120 técnicos médios de saúde iniciaram, na segunda-feira, em Benguela, o primeiro curso de formação pós-média, que está a ser ministrado por especialistas da Escola de Formação de  Saúde.

Objectivo é melhorar a assistência médica
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

A formação, com duração de dois anos, visa capacitar técnicos nas especialidades de pediatria, parteiras, análises clínicas e instrumentação. O director provincial da Saúde de Benguela, Bernabé Lemos, solicitou  empenho e dedicação aos formandos e reconheceu que a formação pode  ajudar na melhoria do atendimento assistencial, sobretudo na pediatria, onde há maior pressão.
Bernabé Lemos disse que a formação enquadra-se nos serviços actuais de saúde dos países modernos e vai ajudar muito na melhoria do atendimento da população.
“Podem ter na escola conhecimentos com padrões modernos que se praticam no mundo civilizado, dos países desenvolvidos”, disse o director, para acrescentar que a pediatria é a área que está mais desprovida de técnicos, onde há maior afluência de doentes, em quase toda a rede sanitárias da província.
Na  óptica de Bernabé Lemos, os técnicos  formados vão melhorar a assistência médica na rede sanitária da província.
Bernabé Lemos anunciou a abertura em 2018 do curso de bio-estatística, com vista a melhorar  o tratamento da estatística médica,  “uma componente importante em termos da gestão hospitalar e de indicadores no sector”. A directora da escola, Teresa Olga Fernandes, explicou que a formação vai ajudar na capacitação dos técnicos para dar melhor resposta as unidades sanitárias da província.
 “As escolas de formação de técnicos de saúde foram criadas para corresponderem às políticas do Ministério da Saúde, no tocante a formação de quadros qualificados, com vista ao desenvolvimento social do país e respondendo as necessidades das populações”, disse Teresa Olga Fernandes.

Tempo

Multimédia