Províncias

Construídos armazéns de conservação

Maximiano Filipe | Benguela

A província de Benguela vai contar, a partir do próximo ano, com seis modernos armazéns para o aprovisionamento e conservação de toda a produção agrícola para evitar a sua deterioração como a­contece actualmente.

Vendedoras da província não têm mais que se preocupar com a conservação dos produtos
Fotografia: Santos Pedro

A criação dos armazéns insere-se num conjunto de acções estratégicas programadas pelo governo provincial de Benguela para ajudar os agricultores e camponeses a economizarem recursos com o escoamento da produção para os grandes centros de consumo nas cidades e vilas.
Luciano Anselmo, um dos responsáveis da direcção do Comércio, Hotelaria e Turismo, disse que o projecto contempla a construção de lojas rurais para permitir a venda dos produtos agrícolas em bom estado de conservação.
Falando num encontro provincial das comunidades promovido pela Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente, ADRA, na vila da Ganda, Luciano Anselmo a­crescentou que os armazéns vão servir também para aprovisionar a produção dos camponeses individuais e colectivos, uma medida destinada a incentivá-los a organizarem-se em cooperativas.
“A conservação dos produtos a­grícolas vai contar com apoio e a­companhamento dos ministérios da Saúde, Comércio, Indústria e do INADEC para preservar a qualidade do produto”, disse, adiantando que os croquis e municípios seleccionados para a construção dos armazéns vão ser apresentados em breve.
No encontro, o director do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), Afonso Dialamicua, garantiu apoio aos agricultores e camponeses em sementes e fertilizantes para o fomento da actividade agrícola, defendendo “uma maior celeridade na disponibilização do crédito agrícola de campanha e capacitação dos agricultores em diferentes técnicas de cultivo para aumentar os níveis de produção”.
A directora da ADRA em Benguela, Teresa Vitória, reconheceu que o encontro, com o lema “Sociedade civil, construindo caminhos para uma participação mais efectiva nas políticas públicas”, correspondeu às expectativas.
O administrador municipal da Ganda, Caetano Lopes, considerou o encontro “uma garantia para a estabilidade e o desenvolvimento da actividade agrícola e para a promoção da qualidade de vida”. Caetano Lopes realçou que a estiagem ainda constitui preocupação no município da Ganda, contribuindo para a redução da produção agrícola.
O encontro da ADRA no município da Ganda reuniu responsáveis de núcleos dos agricultores, representantes das cooperativas de camponeses, líderes das comunidades, autoridades tradicionais, responsáveis de cooperativas de mulheres camponesas e representantes das igrejas.

Tempo

Multimédia