Províncias

Cooperativas agro-pecuárias do interior beneficiam de instrumentos de trabalho

António Gonçalves | Benguela

Cooperativas agropecuárias de quatro municípios de Benguela beneficiaram quinta-feira de tractores e respectivas alfaias, um donativo do Governo da Província.

Camponeses da região têm recebido vários apoios para poderem aumentar a produção no âmbito do programa de combate à pobreza
Fotografia: Jornal de Angola

Cooperativas agropecuárias de quatro municípios de Benguela beneficiaram quinta-feira de tractores e respectivas alfaias, um donativo do Governo da Província.
O director provincial em exercício da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Gabriel Matinho, disse que cada tractor da marca “New Holland”, de origem chinesa, custou aos cofres do Estado com as respectivas charruas, grades e atrelados, cerca de 80 mil dólares norte-americanos.
O responsável da Agricultura e Desenvolvimento Rural afirmou que os meios entregues vão ajudar a resolver o problema da baixa produtividade e na criação de condições para a auto-suficiência alimentar.
Gabriel Martins disse que, apesar da baixa produtividade relacionada com a manutenção de práticas culturais contrárias à lógica do desenvolvimento rural e a deficiente preparação das terras, o sector agrário continua a consolidar-se.
Dentro dos esforços para atingir esta consolidação, Gabriel Martinho apontou a criação no segundo semestre do ano findo da Federação das Cooperativas Agro-pecuárias de Benguela, o surgimento da Escola Técnica Agrária do Alto Capaca e a transformação da Escola Polivalente Agro-industrial “Joaquim Kapango” em Instituto Médio Agrário. Por seu turno Joaquim da Silva “Talahali”, em nome das cooperativas beneficiárias, prometeu cuidar dos meios e criar condições para o aumento da produção, esperando que o governo doe meios idênticos às restantes cooperativas.
O governador provincial de Benguela em exercício, Agostinho Felizardo, salientou que o país é potencialmente agrícola e tem uma população com tradição de trabalhar a terra, daí precisar apenas de reunir sabedorias, equipamentos e finanças para fazer uma agricultura que se transforme em produção. O governante apelou para uma maior responsabilidade na manutenção dos meios, tendo referido que “de nada valerá o esforço do governo, se não houver da parte das cooperativas responsabilidade e responsabilização na sua utilização”.
Os beneficiários desta primeira fase são duas cooperativas agro-pecuárias localizadas nos municípios da Ganda, Cubal e da Comuna da Chila, no município do Bocoio, enquanto para Benguela, beneficiaram igualmente as cooperativas integradas por ex-militares das extintas FAPLA, segundo o director provincial da Agricultura.

Tempo

Multimédia