Províncias

Crescimento da região destacado em palestra

Maximiano Filipe | Benguela

Os índices de desenvolvimento atingidos pela província de Benguela em todos os domínios foram destacados, no domingo, pelo professor universitário Raul Tati, durante um debate promovido pela organização não-governamental angolana Omunga,  em parceria com a Organização Humanitária Internacional.

Vista parcial da cidade de Benguela onde estão em curso diversas acções de impacto social
Fotografia: Francisco Bernardo

Durante o debate, subordinado ao tema “Autodeterminação dos povos e autarquias, perspectivas para Cabinda”, Raul Tati destacou diversos empreendimentos de impacto socioeconómico na província, como o Aeroporto Internacional da Catumbela, o Porto Comercial do Lobito e o Caminho de Ferro-de-Benguela.
“Estes indicadores acontecem em quase toda a parte do país e de maneira particular favorecem o crescimento económico, social, cultural e político de todas as províncias, tendo em conta os recursos minerais que o país ostenta”, sublinhou o professor universitário.
Para o prelector, Cabinda, enquanto parte integrante de Angola, pode  beneficiar de vários projectos de desenvolvimento sociais e económicos, tendo em conta a vontade do Executivo angolano que aposta na melhoria das condições de vida dos angolanos, tendo acrescentado que uma das preocupações consiste nos indicadores existentes de casos de intolerância política, assunto que tem merecido intervenção das forças da ordem.
Na sua qualidade de activista cívico, Raul Tati referiu que as eleições previstas para 2017 podem  trazer inovações que garantam maior estabilidade política e económica para a província de Cabinda, tendo igualmente defendido que, apesar de continuarem a ser reivindicadas por muitos partidos da oposição em Angola, as eleições autárquicas não constituem, no seu ponto de vista, a solução  para o caso de Cabinda.
“A estabilidade de Cabinda, em todos os domínios, depende da acção do Governo angolano, à luz de um diferendo existente que estabelece os mecanismos para que a província continue a contribuir para o desenvolvimento do país”, argumentou.
O debate juntou estudantes universitários, líderes de associações juvenis locais e representantes de partidos políticos. 

Tempo

Multimédia