Províncias

Educação tem falta de professores

A Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia de Benguela necessita de 3.463 novos professores para o ano lectivo 2015, que abre no próximo dia 5 de Fevereiro, anunciou o director provincial.

Milhares de crianças de Benguela correm o risco de não estudarem por falta de professores
Fotografia: José Sores

Samuel Maleze Quinda informou que estes docentes vão juntar-se aos 25.935 para darem aulas a mais de um milhão de alunos que devem estudar este ano lectivo. Do número de professores em falta, 2.070 são para o ensino primário, 959 para o primeiro ciclo e 434 para o segundo ciclo do ensino secundário. Os municípios com mais necessidades são os de Benguela, que necessita de  243 professores do ensino primário e 295 do primeiro ciclo, e 98 do segundo ciclo, o Balombo que tem falta de 224 docentes primários, 123 do primeiro ciclo e 75 do segundo ciclo.
O município do Cubal, acrescentou, necessita de 225 professore primários, 109 para o primeiro ciclo e 77 para o segundo ciclo. O município com menos necessidades é o da Catumbela que precisa de 123 docentes da primária, 46 do primeiro ciclo e 14 do segundo ciclo.
Samuel Maleze Quinda informou que recentemente foram recrutados 459 novos funcionários, mas não fazem parte da cifra das necessidades e que aguardam pela homologação do Tribunal de Contas, sendo 216 docentes e 245 administrativos.
Para este ano lectivo, as metas do sector são a melhoria da qualidade de ensino, que passa pelo reforço da formação dos recursos humanos, através das Zonas de Influência Pedagógica e acções de qualificação dos professores.

Educação no Bié


O director provincial da Educação, Basílio Caetano, disse na cidade do Cuito, que o nível de aproveitamento escolar em 2014 atingiu 80 por cento, fruto dos investimentos na construção de mais escolas e aquisição de meios didácticos, mais 25 por cento em relação ao período anterior.
Basílio Caetano informou que em 2014, a Direcção da Educação contou com 567 mil alunos matriculados, 15.014 professores e 15.949 salas de aulas.
Apesar de alguns obstáculos que a instituição tem enfrentando com a insuficiência de professores e salas de aulas, a Direcção da Educação do Bié continua a trabalhar para a melhorar cada vez mais o processo de ensino.
O Governo fez investimentos avultados na construção de mais de 400 novas salas de aulas, aquisição de meios modernos de instrução e enquadramento de mais professores.
Para este ano, o grande  desafio é incluir mais crianças no sistema de ensino, formação e qualificação dos professores.

Tempo

Multimédia