Províncias

Energia eléctrica chega à comuna da Praia do Bebé

Jesus Silva| Lobito

Mais de 300 famílias da comuna da Praia do Bebé, município de Catumbela, passaram  a beneficiar de energia eléctrica, depois da entrada em funcionamento de um posto de transformação (PT) de 630 KVA, inaugurado pelo governador provincial de Benguela.

Governador de Benguela inaugurou vários projectos de impacto social que visam melhorar a qualidade de vida da população
Fotografia: Jesus Silva|Edições Novembro|Lobito

Isaac Maria dos Anjos entregou 52 contratos aos moradores da comuna da Praia do Bebé, que já tinham regularizados os processos junto dos balcões da Empresa Nacional de Distribuição Energia (ENDE).
José Ekundi, morador na Praia Bebé, disse que a população da localidade está satisfeita com os ganhos que a energia vai levar à região.
O director provincial da Empresa de Distribuição de Energia (ENDE), Carlos Cunha, referiu que  mais dois PT vão ser instalados nas zonas Sul e Norte da comuna.
Carlos Cunha informou que o projecto prevê a montagem de mais dez  PT nos bairros da Nossa Senhora da Graça, zona adjacente à Praça da Caponte, Catumbela, bairros do Vimbalame 1, 2 e 3, além de alguns bairros da cidade do Lobito.
A Praia do Bebé tem uma população estimada em cerca de 15 mil habitantes, que se dedicam  à actividade  piscatória e agrícola, e ascendeu a comuna a 5 de Outubro de 2011, altura em que a nova divisão administrativa criou o  município de Catumbela.
O governador provincial de Benguela, Isaac dos Anjos, visitou  a firma  Cambas, localizada no Pólo de Desenvolvimento Industrial do município da Catumbela, que produz  600 metros quadrados de pedras ornamentais por mês.

Pedras ornamentais

Entre as pedras ornamentais destacam-se o granito e o mármore, que são trabalhadas em forma de lapidação, serra e polimento,  disse o administrador da firma, Nelson Simões.
A unidade fabril, que emprega 26 trabalhadores e teve um investimento inicial de 800 milhões de kwanzas, já aplicados, funciona desde 2013.
Nelson Simões referiu que, caso a fábrica receba mais máquinas, pode ter mais um turno de trabalho, para produzir para a exportação, principalmente para a Polónia e Dubai, regiões que já mostraram interesse em adquirir os produtos da fábrica.
O administrador da fábrica acrescentou que a empresa produz granitos negro e "marron" e mármore para diversas aplicações e com diversos tamanhos. Nelson Simões  lamentou a dificuldade de aquisição de divisas no circuito oficial.
“O material não tem nada a dever ao produzido em outras latitudes estrangeiras, em termos de qualidade, mas vários processos têm sido encaminhados ao Ministério da Indústria, no sentido de viabilizar a aquisição de divisas para compra de mais equipamentos, sem que tivéssemos alguma resposta”, referiu.

Visitas de constatação

Nelson Simões deu a conhecer que a empresa tem adquirido o material nas províncias de Zaire, Namibe e Huíla, com vista a satisfazer a procura de clientes.  O governador Isaac dos Anjos visitou ainda a Lizía Comercial, uma fábrica que produz 40 mil rolos de papel higiénico por dia, sendo 25 mil para cozinha e 5.800 embalagens de guardanapos para as pequenas, médias e grandes superfícies do mercado nacional, a partir das suas três linhas de produção.
António Cavaco, director da fábrica, revelou que a instituição tem um investimento de quatro milhões de dólares e ocupa uma área de mil metros quadrados, desde a construção até a zona de equipamentos.
Com 20 trabalhadores, desde operários aos administrativos, a fábrica funciona com matéria-prima proveniente da República da China.

Tempo

Multimédia