Províncias

Enfermeiros querem melhor enquadramento

O Sindicato dos Enfermeiros em Benguela procura consensos junto da entidade patronal para a solução dos problemas que afligem os filiados, que se queixam de salários baixos, mau enquadramento na carreira e falta de condições de trabalho, entre outras reclamações.

Profissionais de enfermagem querem salários compatíveis
Fotografia: Contreiras Pipa| Edições Novembro

Segundo a presidente do sindicato, Maria Muteba, a situação é agravada pelo facto de muitos profissionais de enfermagem não receberem salário há mais de três meses, porque os seus nomes foram retirados do Sistema Informático do Ministério da Finanças.
Ao intervir no encontro do conselho ordinário do órgão representativo, a responsável sindical disse que diante deste quadro os enfermeiros passam por inúmeras dificuldades. “Trata-se de uma situação cuja resolução se afigura urgente”, disse.
Para o secretário-geral adjunto do sindicato, Albano Caley, é notória a pouca vontade  do Executivo em resolver os problemas que afectam a classe, facto que tem resultado em protestos públicos dos trabalhadores descontentes. “Há mais de três meses que os trabalhadores estão sem remuneração. Esta situação  obriga o sindicato de Benguela a ensaiar novas medidas para o Executivo  valorizar a classe”, frisou.
O responsável defendeu a denúncia de actos que violam os direitos consagrados dos trabalhadores por parte de gestores de unidades hospitalares, “no sentido de se pressionar a resolução urgente desta questão”.
Filiado na União dos Sindicatos de Benguela, o Sindicato Provincial dos Enfermeiros congrega 2.800 membros em toda a província.

Tempo

Multimédia