Províncias

Estações experimentais foram modernizadas

Sampaio Júnior | Benguela

O Executivo pôs mãos à obra para reabilitação e modernização da Estação Experimental do Alto Capaca e da Estação Zootécnica da Ganda, unidades importantes para estudos científicos de plantas e animais, que vão depois promover a agro-pecuária, actividade que já teve elevados índices na região.

O potencial agrícola da região é elevado e tem merecido uma especial atenção por da comunidade empresarial nacional e estrangeira
Fotografia: Sampaio Júnior

O Executivo pôs mãos à obra para reabilitação e modernização da Estação Experimental do Alto Capaca e da Estação Zootécnica da Ganda, unidades importantes para estudos científicos de plantas e animais, que vão depois promover a agro-pecuária, actividade que já teve elevados índices na região.
Devido às grandes quantidades de milho produzido, o Ministério da Agricultura construiu no município da Ganda silos destinados ao armazenamento de grãos.  Os silos têm capacidade para conservar oito mil toneladas de cereais e foram construídos num local com fácil acesso ao caminho-de-ferro, informou o director Provincial da Agricultura, Abrantes Carlos.
As estações Experimental e Zootécnica vão promover políticas de investigação e desenvolvimento para o sector agrário e agro-industrial.
 Na sua actividade está incluída a promoção, coordenação e execução da formação profissional. Está a ser construída no Alto Capaca uma escola básica para formação de 600 alunos por ano lectivo. A escola recebe, além de jovens estudantes, encarregados agrícolas que vão aprender técnicas de plantio e comercialização. O potencial agrícola da região é elevado, diversificado e tem merecido uma especial atenção por parte da comunidade empresarial, nacional e estrangeira. São impressionantes os avanços  da província de Benguela ao longo dos nove anos de paz no domínio da agricultura. O espírito empreendedor e a ambição de melhorar a vida, fizeram com que muitos habitantes da cidade de Benguela, “abandonassem” tudo e partissem para o meio rural em busca de novas oportunidades.“Benguela tem imensos solos férteis e o seu clima é favorável a uma grande variedade de culturas, possui numerosos cursos de água que oferecem excelentes possibilidades de irrigação”, disse Abrantes Carlos.
O presidente da Associação dos agricultores de Benguela, Manuel António Monteiro, disse ao Jornal de Angola, que “é preciso acreditar no futuro de Benguela e acreditar que a agricultura é factor desenvolvimento”. Com a agricultura em franco progresso, “os rendimentos vão aumentar, o desemprego diminui e o bem-estar social aumenta”, disse o director provincial.
“Eu acredito que somos capazes. As razões para o meu optimismo são simples. Os anos antes da independência demonstraram que a nossa economia é capaz de ter um grande dinamismo”, disse o empresário Manuel António Monteiro.
 
 Agricultura e pecuária

O sector agrícola de Benguela tem potencialidades comprovadas no passado colonial para as culturas de açúcar, algodão, borracha, café, milho, sisal, amendoim, batata, feijão, mandioca, massambala, horticultura e fruticultura.
Também a pecuária já teve índices elevados de produção e rendimentos. Há condições para aumentar a produção de gado bovino e relançar o gado ovino. “Vamos investir nos vastos hectares de terras aráveis e de pastagens. Temos de encarar o futuro de Angola como um projecto comum, um projecto nacional em que vale a pena apostar”, disse Manuel António Monteiro.

Tempo

Multimédia