Províncias

Faculdade de Medicina de Benguela tem novo edifício

Sampaio Jùnior | Benguela

A Faculdade de Medicina da Universidade Katiavala Bwila, em Benguela, tem um novo edifício, constituído por sete salas. As novas instalações têm laboratórios de microbiologia, anatomia patológica, microscopia, teatro anatómico, prática biológica e simulação clínica.

A Faculdade de Medicina da Universidade Katiavala Bwila, em Benguela, tem um novo edifício, constituído por sete salas. As novas instalações têm laboratórios de microbiologia, anatomia patológica, microscopia, teatro anatómico, prática biológica e simulação clínica. Têm igualmente uma sala multimédia e uma biblioteca.
A decana da Faculdade de Medicina da Universidade Katiavala Bwila, Maria Sambo, informou, à nossa reportagem, que a instituição académica vai, a partir do próximo ano, aumentar o número de admissões no curso de Medicina.
O novo edifício da Faculdade de Medicina vai contribuir para o êxito da formação de médicos. Maria Sambo esclareceu que é responsabilidade da instituição formar quadros que saibam diagnosticar e tratar as doenças e lidar com os indicadores epidemiológicos. Os primeiros estudantes do curso de Medicina em Benguela foram admitidos em 2008. Luís Vieira, estudante do quarto ano do curso de Medicina, ficou satisfeito com as novas instalações da Faculdade de Medicina porque têm mais salas e laboratórios, onde são ministrados aulas práticas. /> “Existe material escolar que se adequa às tecnologias de última geração, acessíveis à maioria dos estudantes”, disse Luís Vieira.
Quanto aos professores, Luís Viera disse que todos são de trato fácil e sempre disponíveis a prestar qualquer explicação aos alunos. “Mais do que lições de anatomia, os jovens estudantes recebem dos docentes importantes lições de solidariedade, de convivência em comunidade e de bom atendimento aos pacientes”, disse o estudante.

Cônsul português

O cônsul geral de Portugal em Benguela, que tem à sua responsabilidade as províncias do Centro e Sul de Angola, referiu que a nova infra-estrutura e a região académica da universidade conferem ao ensino superior uma posição elevada.
Alexandre Leitão disse que o corpo docente e discente tem acesso ao melhor que está disponível na Faculdade, em termos científicos e tecnológicos. No seu entender, os especialistas formados na instituição vão contribuir para o tratamento de pacientes que precisam de assistência médica nas cidades e nas zonas rurais.

Tempo

Multimédia