Províncias

Garantido fornecimento de água e energia

Jesus Silva | Lobito

O fornecimento de energia eléctrica e água potável à população do município do Lobito, durante as quadras festivas, está garantido, assegurou, na quarta-feira, o administrador municipal.

Administrador municipal do Lobito avalia funcionamento das empresas de água e energia
Fotografia: Jesus Silva | Lobito

Numa visita guiada à Estação de Tratamento de Água, o administrador municipal, Alberto Ngongo, inteirou-se do grau de prontidão e funcionamento da Estação de Bombeamento de Água Bruta e a de Tratamento de Água, na Catumbela, visando garantir o abastecimento do produto às populações durante as quadras festivas.
Alberto Ngongo percorreu a área do laboratório de físico-químico, onde são realizadas as análises organolépticas, físicas e químicas, o laboratório bacteriológico, que visa a pesquisa de microrganismos e as de “Coliformes Totais”, “Coliforme Fecais” e “Germes Totais”, cujos resultados obtidos são comparados com os padrões de portabilidade exigido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O administrador municipal Alberto Ngongo disse que pretendeu com a visita avaliar o funcionamento daquelas empresas, o grau de implementação dos projectos gizados para o sector, alguns dos quais adiados devido a crise económica que o país vive.
"Fomos também averiguar o que foi feito pelos técnicos de forma a garantir uma quadra festiva tranquila, sem se preocupar com o fornecimento de água e energia, que é indispensável nos lares, sobretudo no período de festa", sustentou.
O administrador municipal manifestou-se satisfeito com o abastecimento de águas, referindo que a maioria das residências do município quer as da zona baixa, quer as da alta estão cadastradas e beneficiam do produto. “Peço aos munícipes a racionalizar ao máximo a água e fazer o pagamento do respectivo consumo”.
Em relação ao fornecimento de energia eléctrica, o responsável disse que continua ser um problema, pelo facto de o município registar um deficit de 10 mega watts, daí as constante restrições. Alberto Ngongo exortou aos responsáveis do sector a informarem a redobrarem os esforços no sentido de evitar a oscilação de energia, sobretudo no período de festa.
O director da Empresa de Águas e Saneamento do Lobito (EASL), António Correia Tjongolo, informou que em termos de produção estão disponíveis quatro mil metros cúbicos por hora e uma distribuição na ordem dos 40 mil metros cúbicos.
António Correia Tjongolo garantiu que os esquemas de água bruta e tratamento estão operacionais, com homens e bombas em prontidão, caso haja ruptura ou avaria que eventualmente possa surgir, referindo que foram constituído equipas de piquete para o período da quadra festiva.
O chefe de exploração da Empresa Nacional de Transporte (RNT) em Benguela, Frederico Vidal, disse que em termos de produção o sector conta com a garantia da central térmica da Quileva, com 32 mega watts, Hídrica do Lumaum, com 25.
Estão ainda disponíveis 28 mega watts, CTL 3,5, aproveitamento Hídrico do Biópio com sete, central térmica do Cavaco 10, o que perfaz um total de 105,5 mega watts.
Frederico Vidal explica que com base na demanda actual da província, os municípios do Lobito, Catumbela, Benguela e Baia Farta registam um deficit de 10 mega watts, estando, para isso, ser feito um plano de restrições que vão ser conciliadas de modo a que todos obtenham o produto sem prejuízo durante as festas.

Tempo

Multimédia