Províncias

Governador reconhece dificuldades

O governador da província de Benguela, Armando da Cruz Neto, reconheceu a existência de algumas dificuldades no sistema de produção e distribuição de energia eléctrica, numa altura em que estão disponíveis apenas 80 MW, contra os 250 necessários.

Sistema de produção de energia eléctrica na província de Benguela é ainda deficiente
Fotografia: Kindala Manuel |

O governador da província de Benguela, Armando da Cruz Neto, reconheceu a existência de algumas dificuldades no sistema de produção e distribuição de energia eléctrica, numa altura em que estão disponíveis apenas 80 MW, contra os 250 necessários.
O governante reconheceu o facto durante uma conferência de imprensa, destinada a anunciar a visita à província do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, no próximo dia 27 de Agosto. 
“O Presidente vai encontrar uma província diferente nos sectores da saúde e educação, onde foram construídas muitas infra-estruturas e incrementado o número de técnicos qualificados, porém, subsistem ainda dificuldades no sector energético”, adiantou. 
“Nós sabemos que melhorámos muito nas áreas da saúde, onde foram construídos muitos hospitais e aumentámos o número de profissionais, tal como na educação, mas continuamos a debater-nos com dificuldades na produção de electricidade”, reconheceu, acrescentando que há muitos investimentos para inverter o quadro ainda este ano.
 Armando da Cruz Neto indicou que, antes do fim deste ano, Benguela vai dispor de outros 40 MW e, dentro de algum tempo, ultrapassar a capacidade com a reabertura da barragem do Lomaum.
A central térmica do Biópio, situada na comuna com o mesmo nome, está a beneficiar de uma “reabilitação capital”, devendo entrar em funcionamento no próximo mês de Novembro, com uma capacidade de 20 MW de capacidade.
A infra-estrutura foi inaugurada antes da Independência, tendo paralisado em 2009, por razões técnicas.  Quanto à distribuição de água, Armando da Cruz Neto garantiu haver “bons resultados, com grande parte dos habitantes da urbe a beneficiarem de água canalizada  e tratada.
 A província dispõe de um sistema de produção de 1,5 metros cúbicos de água por segundo, o que lhe confere a veleidade de assumir-se como a que mais água potável dispõe a nível do país”.

Tempo

Multimédia