Províncias

Governador desapontado com qualidade de obras

Jesus Silva | Lobito

O governador de Benguela disse estar desapontado com algumas obras de reabilitação de escolas e que há empreiteiros que “estão a despachá-las” para obterem lucros rapidamente.

Governador Armando da Cruz Neto e membros do governo provincial avaliaram o grau de execução das obras em curso no Lobito
Fotografia: Jesus Silva | Lobito

 
O governador de Benguela disse estar desapontado com algumas obras de reabilitação de escolas e que há empreiteiros que “estão a despachá-las” para obterem lucros rapidamente.
Armando Cruz Neto visitou no Lobito cerca de 30 empreendimentos estatais e privados, que após concluídos vão contribuir para melhorar a vida da população e modernizar a cidade
A construção, no bairro Chimbuila, de uma escola do I ciclo, com 20 salas, afirmou o governador, é um exemplo da péssima qualidade de algumas obras em Benguela, pois foram cometidos vários erros na sua elaboração, o que vai obrigar a correcções.
O governador também referiu estar preocupado com o estado de degradação da escola António Agostinho Neto, no bairro do Liro, apesar de ter beneficiado, há relativamente poucos anos, de obras de reabilitação.
O estabelecimento tem os vidros todos partidos e, disseram os professores, quando há chuvas mais fortes registam-se inundações e os alunos ficam semanas seguidas sem aulas.
Sobre a requalificação do bairro da Luz, o governador pediu ao empreiteiro “um trabalho eficaz nas valas de drenagem de águas pluviais” para se evitarem “os cenários dos anos anteriores”, quando o local ficou totalmente lamacento e o asfalto desapareceu.  
O bairro da Luz é o primeiro da cidade a ser abrangido pelo Projecto Integrado de Infra-estruturas de Benguela (PIIP), aprovado pelo Concelho de Ministros, que estabelece a colocação de asfalto em todas as ruas, redes de esgotos, passeios, lancis, valas para escoamento das águas pluviais, iluminação pública, construção de um pequeno parque infantil, sanitários e bancos públicos e recintos desportivos.
As obras deste projecto, afirmou o administrador municipal do Lobito, Amaro Ricardo, já em execução, são financiadas por uma linha de crédito do Brasil de 54 milhões de dólares e contemplam também canais de drenagem das valas do Lobito, de Benguela e da Baia Farta.
 
Condomínio Tambarino

O governador visitou também condomínio Tambarino, da Cooperativa Cajueiro, com 113 fogos habitacionais, que ficam prontos em Outubro, parte dos quais se destinam a sócios e as restantes a outros interessados.
Armando Cruz Neto disse ter gostado do condomínio e incentivou outros empresários a seguirem o exemplo da cooperativa.
Antes de visitar a Retail Park, onde vai funcionar o primeiro shopping center do Lobito, com cerca de 27 estabelecimentos comerciais, o governador esteve na nova centralidade do município, na zona alta da cidade, onde vão ser construídos três mil fogos habitacionais destinados aos moradores da área. Também visitou as 25 casas para pessoas que vão ser retirados da periferia.
O governador visitou igualmente a via rápida entre a Catumbela e o Lobito, o bairro do São João, que regista enormes problemas na época chuvosa, pois fica com os acessos intransitáveis, e a zona onde vai ser construído um mercado informal. A visita estendeu-se à zona do Akongo, no São João, onde em Julho devem estar concluídas 32 de cem casas destinadas a jovens.
O director provincial da Juventude e Desportos, Pedro Garcia, disse que as restantes 68 casas vão ser construídas em zonas a indicar.

Tempo

Multimédia