Províncias

Governador exige cumprimento dos prazos de execução das obras

António Gonçalves | Benguela

O governador de Benguela, Armando da Cruz Neto, anunciou, no município da Ganda, “medidas excepcionais” contra todos os empreiteiros que não cumprirem os prazos de entrega das obras de impacto social.

Armando da Cruz Neto recebe explicações sobre o andamento dos trabalhos em curso a nível das várias localidades da província
Fotografia: António Gonçalves|Cubal

O governador de Benguela, Armando da Cruz Neto, anunciou, no município da Ganda, “medidas excepcionais” contra todos os empreiteiros que não cumprirem os prazos de entrega das obras de impacto social.
No final de uma visita às obras inseridas nos projectos do governo de combate à pobreza, Armando da Cruz Neto afirmou que “face às constatações no terreno, vamos tomar medidas extraordinárias para corrigir os defeitos que foram encontrados e, fundamentalmente, o incumprimento dos prazos de execução das obras”.
 Na Ganda, o governador não ficou satisfeito com a qualidade das 50 casas que estão a ser erguidas na sede do município e com a morosidade na construção das residências da povoação da Catamba, que constituem a primeira aldeia rural na província.
O governador elogiou o empenho do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), em parceria com a associação de camponeses na localidade da Catamba, sobretudo depois da distribuição de instrumentos agrícolas e sementes.
“Deu para perceber que, de facto, os meios entregues foram muito bem utilizados, o milho está a crescer e as perspectivas de colheitas são boas”, reconheceu. A província de Benguela pode começar a beneficiar de energia da hidroeléctrica do Lomaun, a partir de Dezembro de 2013, revelou, na comuna do Tumbulo, município do Cubal, o director regional da Empresa Nacional de Energia (ENE), Baptista Assis, durante uma visita do governador Armando da Cruz Neto. Baptista Assis assegurou ainda que quase todo o equipamento antigo da barragem foi removido por uma empresa chinesa, a quem foi adjudicada a obra.  No passado, a barragem produzia 25 MW e com a reabilitação, a capacidade é duplicada.
O director regional da ENE garantiu que quanto à linha de transporte de energia, a empresa a quem foi adjudicada esta empreitada já está no terreno. “Estamos a tratar de ceder os espaços para instalarmos os estaleiros e iniciarmos os trabalhos”, reforçou. 
O projecto de instalação das linhas de transporte de energia eléctrica da hidroeléctrica para as subestações pode levar 18 meses, disse o director regional da Empresa Nacional de Energia.

Tempo

Multimédia