Províncias

Governo de Benguela combate endemias

A observância e divulgação de medidas que visam proteger as comunidades contra as doenças causadas por vectores vai ser reforçada pelas autoridades sanitárias da província de Benguela, anunciou o director de Saúde.

Barnabé Lemos disse que mosquitos, moscas, percevejos e carraças transmitem doenças às pessoas, como a malária, dengue ou febre-amarela, que constituem um problema de saúde pública, dada a sua magnitude, gravidade e transcendência social. Salientou que a mulher que faz a sua primeira consulta e a criança que completa o esquema de vacinação, devem receber um mosquiteiro para se protegerem.  Para Barnabé Lemos, o uso de roupas e de acessórios apropriados para a protecção individual, para quem trabalha nas lavras ou à beira dos rios, deve ser observado com rigor, com vista a combater doenças como a cegueira dos rios.
 Recomendou a protecção das janelas e portas com redes mosquiteiras, a drenagem de águas estagnadas, eliminação de charcos, de lixo, latas, pneus velhos, entre outros factores criadores de vectores. O director provincial de Saúde exortou ainda à melhoria das habitações e manutenção da higiene domiciliar, para a eliminação de percevejos, carraças, pulgas e ratos. 
O representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Benguela, Nicolas Velarte, reconheceu que a preocupação da província é fazer descer os índices de morte por malária,m 2013.
Para reduzir a mortalidade causada pela malária, as autoridades sanitárias desenvolvem em todo o país campanhas de prevenção.

Tempo

Multimédia