Províncias

Governo exige casas com mais qualidade

António Gonçalves| Benguela

O governador provincial de Benguela, Isaac Maria dos Anjos, defendeu a construção de infra-estruturas de maior qualidade a nível da nova zona urbana a sul do município sede, para que se excluam os conceitos de casa de bairro ou económicas.

Vista parcial da cidade de Benguela onde estão a ser erguidas várias infra-estruturas
Fotografia: José Soares

Isaac dos Anjos, que falava no final de uma visita guiada ao ordenamento da reserva fundiária a sul de Benguela, de empresários ligados ao sector da construção e imobiliário, disse que pessoas de menos posses podem habitar em casas mais condignas.
O responsável provincial salientou que, se a pobreza em si não é um destino, em princípio todos aspiram um dia a ter uma vida mais confortável, o que justifica a aplicação de investimentos em infra-estruturas de impacto social que permitam uma melhoria progressiva na vida da população.
“Se as infra-estruturas forem bem feitas, do ponto de vista económico, vão continuar a ser valorizadas, porque à medida que as cidades vão crescendo, se a infra-estruturas forem boas, o capital do terreno vai valer mais”, salientou o governador de Benguela.
Implantada numa área de cinco mil hectares, a reserva fundiária a sul de Benguela, como é conhecida a nova urbanização, tem planificado, nesta fase, 31 talhões, o último dos quais com 866 lotes.
Em seis parcelas de dois a cinco hectares, vão ser implantadas, Isaac Maria dos Anjos, estabelecimentos comerciais, enquanto a maior parte das terras vai ser para a habitação unifamiliar, em lotes de mil metros quadrados.
A estrada nacional n.º 100, que atravessa a nova urbanização de Benguela, vai beneficiar igualmente de ruas de até 60 metros de largura e avenidas de 28 metros de largura, com duas faixas.

Tempo

Multimédia