Províncias

Inefop enquadra mais de 700 jovens

Setecentos e oitenta e cinco jovens foram enquadrados em diversos postos de trabalho, maioritariamente no sector do Comércio (lojas), no decurso do I semestre de 2019, contra 382 empregados nos últimos seis meses de 2018.

Fotografia: DR

Estes dados foram revelados ontem à Angop pelo director provincial de Benguela do Instituto de Formação Profissional (Inefop), António Paulo.
Segundo o responsável, apesar da crise económico-financeira, a instituição continua empenhada no seu objecto social , a formação profissional e o consequente enquadramento dos formados no sector privado da economia, através dos Centros de Emprego.
António Paulo avançou que, este ano estão em processo formativo 1.734 cidadãos dos 18 aos 55 anos de idade, nos 15 centros de formação disponíveis na província, acrescentando que entre 2008 a 2018, foram colocados no mercado de trabalho 21 mil e nove formados, principalmente nas especialidades de Mecânica Auto, Serralharia Civil, Alfaiataria, Electricidade de Baixa Tensão, entre outros ramos. “O Inefop possui 50 oficinas que contam com uma capacidade para albergar mil formandos por época em áreas cobertas, na proporção de 20 formandos por turno. Porém, devido à demanda, actualmente estão em processo formativo 1.734 alunos, contra os mil da sua capacidade instalada”, disse o responsável.
Segundo António Paulo, a província de Benguela conta com quatro centros de formação profissional nos municípios do Caimbambo, Chongoroi, Lobito e na sede da província.
Neste processo de formação profissional, afirmou, as exigências são maiores, já que o foco vai para aliar a teoria à prática, daí que se deve ter cuidado na assimilação do pessoal alvo, atendendo as exigências do próprio mercado de trabalho que está hoje mais competitivo, pelo que exige competência do pessoal formado.

 

Tempo

Multimédia