Províncias

Instituição formou mais de uma centena de médicos

Um grupo de 116 médicos foi formado em 2014 pela Faculdade de Medicina da Universidade Katiavala Bwila, em Benguela, informou o reitor da instituição.

Universidade consolidou as conquistas alcançadas e melhorou a gestão institucional tornando-o mais integrada e participativa
Fotografia: João Gomes

Albano Ferreira, que qualificou de bom o ano de 2014 tendo em conta os ganhos obtidos, disse que com o lançamento dos primeiros licenciados em Medicina Geral, a Universidade Katiavala Bwuila contribui para o desenvolvimento do país, com a formação integral na Faculdade de Medicina na província.
O reitor da Universidade Katiavala Bwila disse que a instituição obteve grandes conquistas, entre as quais a certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade pela norma ISO 2001, considerada como uma  ferramenta de gestão interna, que acrescenta valor à instituição e assim empresta uma maior valorização dos recursos existentes.
Em 2014, a UKB registou também a premiação de um dos estudantes da Faculdade de Economia, entre os melhores a nível nacional, com a atribuição do prémio Gazeta.
Para este ano, referiu que as linhas de força estão viradas para a consolidação das conquistas alcançadas e melhoria na gestão institucional, tornando a universidade mais integrada e participativa no sentido de desenvolver um conjunto de acções, visando melhorar a qualidade de ensino, métodos de avaliação dos docentes, assim como no aumento de competências dos estudantes para o mercado de trabalho.
A Faculdade de Medicina da Universidade Katiavala Bwuila (FMUKB) conta com 18 professores de nacionalidade cubana, em tempo integral, e mais dez docentes colaboradores (na sua maioria também cubanos subcontratados pelo MINSA), sendo cinco médicos angolanos.
O plano de estudos está organizado em semestres, decorrendo durante seis anos (12 semestres), estando o sexto ano reservado a um estágio pré-profissional.
A  Faculdade de Medicina é uma das seis unidades orgânicas da Universidade Katiavala Bwuila, a única instituição pública de ensino superior da região académica II, que engloba as províncias de Benguela e do Cuanza Sul.

Médicos especialista

Médicos formados na Faculdade de Medicinade  Cabinda estão desde Setembro a fazer especialidades nos vários sectores da saúde, no âmbito do programa de equipar as unidades hospitalares da região com especialistas.
O secretário provincial da Saúde em Cabinda, Paulo Zenza Alexandre,  disse que foi criado no Hospital Geral um Internato de Especialidades, que serve para a formação complementar dos primeiros 24 médicos em Medicina Interna, Cirurgia, Pediatria, Dermatologia, Ginecologia e Obstetrícia.
Paulo Zenga Alexandre informou que os médicos são colocados nas unidades hospitalares da província quando concluírem as especialidades, com vista a descongestionar o Hospital Geral de Cabinda.“Temos esse propósito e pretendemos atingir o objectivo.
Estamos a formar estes médicos que terminaram a sua formação na Faculdade de Medicina. Também estão integrados nessa formação médicos já experimentados que querem obter o grau de especialistas. Isso vai ajudar imenso o sector da Saúde”, disse o responsável.
Num futuro breve, o Hospital Geral de Cabinda, após a conclusão das obras de reabilitação e ampliação, vai ser transformado num centro de especialização que vai atender também parte da província do Zaire.
O secretário provincial da Saúde de Cabinda disse também que o Governo Provincial celebrou um contrato no domínio de formação e actualização de quadros superiores e médios da saúde na cidade italiana de Pescara, para onde estão a ser enviados pequenos grupos para obtenção de novos conhecimentos, tendo em conta a evolução no domínio da saúde.
O primeiro grupo de quatro técnicos especializado em Pescara (Abruzzo), regressou já à província depois de seis meses de actualização nas áreas de Urgências e Emergências Médicas, Oncologia e Laboratório de Análises Clínicas.
O acordo, segundo o responsável,  prevê a partida de mais um grupo no próximo mês de Janeiro. Paulo Zenga disse que 2014 foi um ano de sucesso no que se refere à formação e actualização dos técnicos de saúde dentro do país e no exterior (Itália e Portugal), visando melhorar o atendimento dos pacientes.

Tempo

Multimédia