Províncias

Lobito quer fazendeiros mais dinâmicos

O administrador do Lobito disse, na quinta-feira, na comuna do Egipto Praia, à Angop, que os fazendeiros ou dão provas capacidade de relançarem a actividade ou perdem as terras a favor dos que as não têm.

Lobito quer que fazendeiros apostem forte na produção agrícola e na pecuária
Fotografia: Francisco Bernardo

O administrador do Lobito disse, na quinta-feira, na comuna do Egipto Praia, à Angop, que os fazendeiros ou dão provas capacidade de relançarem a actividade ou perdem as terras a favor dos que as não têm.
Amaro Ricardo afirmou que o município do Lobito possui dezenas de fazendas, cujos proprietários revelam incapacidade de as tornar funcionais.
Os fazendeiros sem capacidade de recuperarem as fazendas, referiu, devem entregar algumas parcelas a pequenos camponeses sem terras para trabalharem.
A terra, como propriedade originária do Estado, salientou, só pode ser ocupada por alguém que tenha projecto concreto de construção ou de algo que eleve o nível de desenvolvimento económico.
O regedor da comuna do Egipto Praia declarou, também à Angop, que muitos habitantes da região não têm terrenos porque no tempo colonial lhes foram retirados por comerciantes.
Lino Matias disse que os programas do Executivo para o desenvolvimento das zonas rurais devem ter em conta que há pessoas que não têm terrenos para a agricultura.

Água tratada 
 
A comunidade do Egipto Praia, no Lobito, está satisfeita com a montagem, há mais de um mês, do sistema de produção e tratamento de água potável, disse, ontem, à Angop, o regedor da comuna, Lino Matias.
A autoridade tradicional, que falava à margem do encontro que o administrador municipal teve com a população da comuna, acrescentou que as pessoas deixaram de consumir água imprópria, evitando, com isso, várias doenças.
O regedor elogiou o governo da província por ter construído na comuna um centro médico, com capacidade para internar dez pessoas.
A construção de uma nova escola, com capacidade para 500 alunos, em dois turnos, é, afirmou, outro aspecto que está a mudar comuna.
A comuna do Egipto Praia, a 92 quilómetros da cidade do Lobito, tem mais de oito mil habitantes, que se dedicam, essencialmente, à pesca, agricultura e criação de gado.

Crédito
 
O camponeses da comuna do Egipto Praia consideraram que o Programa de Credito de Campanha, aprovado pelo Executivo, é um instrumento que pode ajudar os pequenos agricultores na luta contra a pobreza.
Luís Matias referiu que a falta de recursos financeiros para a compra de instrumentos agrícolas constitui um dos maiores problemas dos camponeses.
O administrador municipal do Lobito, Amaro Ricardo, pediu aos camponeses que aproveitem a oportunidade que o Governo oferece para o relançamento da actividade agrícola.
O Executivo angolano deseja que todos as pessoas tenham oportunidade de melhorar as condições sociais e financeiras, frisou.
 
Oferta de livros
 
O Conselho da Juventude no Lobito, província de Benguela, doou, na quinta-feira, 1.350 livros à Direcção da Escola “Hoji Ya Henda”.
O presidente do Conselho, António Lazaro Kamenhe, lembrou que “a falta de livros, sobretudo por parte dos estudantes de famílias com baixo poder económico”, tem sido um obstáculo para os professores.
Entre o material doado há livros de matemática, inglês, química, física e educação manual e plástica.
O director pedagógico da escola sublinhou que há estudantes que assistem às aulas sem terem o material didáctico completo.
O Conselho da Juventude no Lobito está fazer o levantamento dos estudantes finalistas que desejam estagiar em empresas.

Tempo

Multimédia