Províncias

Milhares de pessoas aprendem a escrever

António Gonçalves | Benguela

O município de Benguela pode ter, até ao final do ano, seis mil pessoas alfabetizadas, garantiu o chefe da secção municipal da Educação, José Januário, quando discursava na cerimónia de encerramento da primeira etapa do programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE), realizada na escola da Missão Católica da Nossa Senhora da Nazaré.

As autoridades da província de Benguela pretendem diminuir as taxas de analfabetismo
Fotografia: António Gonçalves

Na primeira fase do ensino da alfabetização, iniciada em Janeiro e que decorreu até este mês, no município de Benguela, ficaram aprovados 3.352 candidatos. “O facto de estarem inscritos 4.141 pessoas na primeira fase e terem sido aprovados 3.352 candidatos nesta primeira fase, significa que o município de Benguela pode ter alfabetizados, até ao fim do ano lectivo, mais de seis mil cidadãos angolanos”, reforçou José Januário. Se esta dinâmica continuar, as autoridades vão conseguir diminuir as taxas de analfabetismo, que actualmente rondam os 30 por cento.
Para o efeito, acrescentou, foram disponibilizados meios audiovisuais e manuais, para possibilitar uma melhor aprendizagem, sobretudo na segunda fase do processo, que vai de Julho a Dezembro.
José Januário anunciou que, relativamente às reclamações feitas pelos colaboradores, sobre os atrasos no pagamento dos subsídios, o Ministério de tutela vai honrar os seus compromissos com os mesmos. Os professores propuseram aos responsáveis do sector o aumento dos subsídios e o pagamento atempado dos mesmos, a promoção de campanhas através dos órgãos de difusão massiva e a distribuição de material didáctico em quantidades suficientes e em tempo.

Tempo

Multimédia