Províncias

Mortes por malária aumentam na província

Um total de 171 pessoas morreram de malária durante o primeiro semestre deste ano, na província de Benguela, um aumento de 54 casos em relação a igual período de 2013, informou o supervisor provincial do Programa de Combate à doença.

Municípios do litoral de Benguela como a Baía Farta e Lobito são os mais afectados
Fotografia: DR

Manuel Cassiano disse à Angop que os óbitos resultaram de 89.530 casos de malária notificados entre Janeiro e Junho, em relação aos 56.641 em 2013.
A subida de casos deve-se, de acordo com o responsável, ao aumento de serviços ao dispor das populações, proporcionados pela direcção provincial da Saúde, com serviços de tratamento da malária garantidos nas unidades sanitárias, assim como os meios de diagnósticos e confirmação do parasita em teste rápido e de microscopia óptica.
Os municípios do litoral da província (Benguela, Lobito, Catumbela e Baía Farta) lideram a lista de casos.
Em relação à componente prevenção, Manuel Cassiano disse que a direcção provincial de Saúde tem estado a trabalhar juntamente com parceiros para a sensibilização, não só da malária, mas também de outras doenças.
“Com a cooperação cubana estamos a tratar da eliminação de charcos para diminuir a multiplicação do vector e os nossos parceiros estão envolvidos na sensibilização da população”, acrescentou.
A preocupação de momento prende-se ainda com o débil saneamento básico um pouco por todos os bairros, adicionado aos maus hábitos da população, que teima em criar charcos em quintais e nas ruas.
Também decorrem os serviços de fumigação a nível dos dez municípios, através das respectivas repartições de Saúde.

Surto de sarampo


Um surto de sarampo já atingiu 24 pessoas até à passada quarta-feira no Cubal, informou a chefe dos serviços de pediatria do hospital missionário municipal da Nossa Senhora da Paz. Isabel Maria de Jesus disse à Angop que o quadro clínico dos pacientes internados - 22 crianças e duas mulheres - é preocupante, devido ao estado em que já se encontravam quando acorreram ao hospital.
Desde Junho último já houve 52 casos registados pela unidade sanitária, altura em que surgiram os primeiros casos deste ano, na sua maioria crianças a partir de quatro meses, o que resultou em duas mortes.
O surto de sarampo está a assumir contornos preocupantes, uma vez que além das crianças menores de nove meses, também está a afectar adultos, salientou Isabel Maria de Jesus.
Neste momento, a direcção do hospital está a ampliar o espaço de acomodação dos pacientes, uma vez a área disponível está a tornar-se pequena em função da procura dos serviços.

Tempo

Multimédia