Províncias

Navio cruzeiro escala Porto do Lobito

Jesus Silva| Lobito

Mais um navio cruzeiro da Silver Explorer escalou, domingo, a cidade do Lobito para constatar as potencialidades históricas, culturais, económicas e sociais da província de Benguela, com particular realce para a zona paradisíaca da Restinga, devido às suas famosas praias e a hospitalidade da sua população.

Passageiros do navio cruzeiro Silver Explorer durante a visita turística à praia da Restinga
Fotografia: Jesus Silva| Lobito

O cruzeiro transportou 120 passageiros de diferentes nacionalidades, sobretudo americanos, australianos e ingleses, que puderam ver sinais claros do crescimento económico e social. Foi, também, o primeiro cruzeiro a transportar, além de pessoas da terceira idade, jovens e crianças, segundo os organizadores da viagem.
O representante da agência de viagens responsável pela organização de cruzeiros para Angola, Pedro Bandeira, referiu que a cidade do Lobito está a ser seleccionada como um destino privilegiado para a passagem de cruzeiros.
Esta época, referiu, será encerrada com a atracagem de mais um navio no próximo dia 12 de Abril devido ao início, para breve, do inverno na África do Sul. “A partir de Outubro já há confirmação de que escalará o Lobito, pela primeira vez, um navio com 800 passageiros e há previsões para a passagem de outros pelos portos do Namibe e Luanda”, salientou.
O administrador municipal do Lobito, Amaro Ricardo, garantiu apoio total à passagem de navios cruzeiros, pois, como sublinhou, transmitem ao mundo a imagem de uma Angola estável, com tranquilidade e com um crescimento e desenvolvimento económico notáveis na região Austral de África.
“Não há melhor informação e publicidade do que estas visitas, porque a forma como os turistas estrangeiros têm sido recebidos e o contacto directo que têm com o desenvolvimento do país permite que sejam eles a transmitir ao exterior o momento que os angolanos estão a viver com a paz efectiva”, sublinhou.

Hospitalidade

Este foi o quarto navio cruzeiro a escalar a cidade do Lobito, não se tendo registado qualquer constrangimento, numa prova inequívoca da hospitalidade da população. “Angola deixou de ser um país de risco e possui actualmente uma excelente estabilidade política e militar, somos um exemplo de Paz, reconstrução e irmandade em África, fazendo com que muitos cidadãos estrangeiros venham beber da nossa experiência”, sublinhou Amaro Ricardo.
Enquanto permaneceram na cidade do Lobito, os turistas visitaram as praias da Restinga, locais históricos, o Estádio Nacional de Ombaka, a Igreja do Pópulo, a primeira construção de pedra e cal da cidade de Benguela, com características arquitectónicas do barroco, única do género em toda a África Austral, e efectuaram o habitual passeio ferroviário nas carruagens do Caminho-de-Ferro de Benguela, CFB.

Tempo

Multimédia