Províncias

Nova maternidade e pediatria erguidas no Lobito

Jesus Silva| Lobito

Um hospital pediátrico e uma maternidade são construídos na zona alta da cidade do Lobito, com vista a dinamizar o atendimento médico à criança e à mulher, anunciou ontem o administrador municipal.

Um pormenor da cidade do Lobito onde os serviços comunitários vão ser refundados e já estão a ser equipados com novas gruas
Fotografia: Francisco Bernardo

Amaro Segunda Ricardo salientou que o Governo Provincial de Benguela projectou a construção das duas unidades clínicas que vão ser erguidas entre o Lobito e Culango, no sentido das mesmas servirem de alavanca para o surgimento da nova centralidade e pôr fim às enchentes registadas a nível do Hospital Geral do Lobito.
A estrutura é feita com projecção de médio prazo, num espaço de cinco a dez hectares, a pensar no futuro, tendo em conta que amanhã a mesma pode crescer sem os entraves e obstáculos que se registam hoje.
Um novo Centro de Saúde está em fase de conclusão na comuna da Canjala, para substituir o existente, que não possui condições de habitabilidade e dignidade para os cerca de 50 mil habitantes da circunscrição.
Em 2013, começou a reabilitação da escola do II ciclo "Comandante Valódia", estando a ser concluídas mais 12 salas de aulas a nível da escola Karl Marx, no bairro da Bela Vista, no âmbito do Programa de Combate à Pobreza.
A escola Bula Matadi, no bairro da Canata, também está a ser reabilitada, no quadro do Programa de Investimentos Públicos, além de duas escolas com seis salas de aulas, sendo uma no Culango e outra no M’bangubango. A construção de mais um estabelecimento escolar com 20 salas de aulas, no bairro São João, e outro no antigo Aviário daquele bairro, com igual número de salas, está prevista para breve.
A escola 17 de Setembro do II Chimbuila foi recentemente inaugurada, o que ajudou a desanuviar uma enorme pressão que existia naquela zona da cidade.

Baixa é requalificada

O administrador disse que no âmbito da requalificação do município existem dois projectos denominados “Construindo o futuro do Lobito”, em que se prevê que a zona baixa da urbe sofra uma transformação geral, no sentido de se erguer uma metrópole como a da cidade de Luanda.
Um gabinete técnico está a ser criado para o efeito, com aquisição de equipamentos de ponta, assim como existe o processo de capacitação de arquitectos.
Os serviços comunitários vão ser refundados e já estão a ser reequipados com novas gruas, carros para recolha de pessoas necessitadas, pessoas mortas encontradas nas ruas e cadáveres deixados nos hospitais por familiares, cuja responsabilidade é da Administração Municipal do Lobito.

Povoação do Culango

Na povoação do Culango foi erguido um parque ecológico, com sete hectares, e um tanque de água de cerca de dez milhões de litros, onde vão ser produzidos e reproduzidos peixes e mudas de plantas até 1,80 de altura. No que concerne à infra-estrutura urbana, sublinhou que está a ser reabilitado o troço da avenida Robert Willians, com um novo tapete asfáltico e rede de drenagem de águas pluviais e iluminação pública.
Neste momento, já está concluído o projecto de reparação da estrada Golfo/Lobito Velho, para que, nos próximos tempos, se tenha uma nova via de acesso entre a zona alta e a baixa, no sentido de desanuviar a pressão existente hoje na via ascendente e descendente da Bela Vista.
Esta semana começam as obras de reabilitação da rua 1º de Dezembro, na zona comercial, e a construção do novo mercado informal da área do Africano, numa extensão de dez hectares, para dar maior dignidade aos feirantes que se encontram entre Chivingo e Calumba.
O mercado, além de bancadas e cobertura, vai dispor de uma zona rodoviária para os táxis efectuarem a carga e descarga de pessoas e mercadorias.
O mercado informal estruturado do bairro da Zâmbia, onde são acolhidas cerca de 120 vendedoras, foi também aberto, embora falte a construção de uma cozinha para a conclusão do projecto.
No espaço foram já concluídos dois dos cinco balneários públicos, construídos ao longo da costa, no âmbito do projecto integrado da cidade.
A primeira fase do mercado vai facilitar as vias de acesso entre o Africano, Calumba e bairro da Luz, enquanto a segunda etapa trará benefícios para Santa Cruz e o município da Catumbela.
O administrador disse ainda que recentemente foi construída e entregue à população a ponte entre o Chimbulo I e o Chimbuila II.

Tempo

Multimédia