Províncias

Novo currículo para professores primários está na forja

António Gonçalves | Benguela

Um novo currículo de formação de professores do ensino primário, com a variante de educação pré-escolar, deverá ser elaborado brevemente, para permitir que se promova a formação de profissionais especializados nessa área, concluiu o encontro metodológico do sector, realizado de 24 a 26 de Março, na cidade de Benguela.

Cursos para formação de professores do ensino primário vão ter novo currículo
Fotografia: Jornal de Angola

Um novo currículo de formação de professores do ensino primário, com a variante de educação pré-escolar, deverá ser elaborado brevemente, para permitir que se promova a formação de profissionais especializados nessa área, concluiu o encontro metodológico do sector, realizado de 24 a 26 de Março, na cidade de Benguela.
 Os participantes ao encontro concluíram que, desta forma, estará o sector a contribuir para a melhoria qualitativa dos formadores nos centros infantis e da classe de iniciação.
 O encontro concluiu, igualmente, que, em todas as províncias, deverão ser desenvolvidos os mecanismos da formação e a criação de dispositivos de apoio à formação contínua dos professores, cuja execução, em cada província, será monitorada e avaliada pelo Ministério da educação.
 Relativamente à implementação do programa “Merenda Escolar”, tido como um dos pilares do combate ao insucesso escolar, o encontro recomenda que sejam desenvolvidos esforços, por parte dos governos provinciais, para que, de acordo com as disponibilidades de recursos e critérios a estabelecer a nível local, seja abrangido o maior número possível de alunos.
 Tendo em conta a existência de um número ainda elevado de alunos com necessidades educativas especiais fora do sistema de ensino em Angola, os participantes recomendaram que seja reforçada a capacidade técnica e administrativa das direcções provinciais de Educação Ciência e Tecnologia, para a implementação dos programas que visem a expansão e melhoria dos serviços da educação especial, nas respectivas província.
 Para melhor controlo e gestão da certificação académica às escolas, o encontro recomendou às direcções provinciais a orientarem o envio, pelas repartições municipais da Educação e destas paras a direcções provinciais da educação ciência e tecnologia, da lista dos alunos matriculados por classes até 30 dias antes da época de exames e uma guia da pauta com os resultados finais até 30 dias após o termo do ano lectivo.
 O encontro metodológico, realizado em Benguela, foi antecedido do colóquio “Pensar em Educação para a Educação” e recomendou, igualmente, que os planos de investimentos dos governos provinciais, relacionados com a construção e recuperação de infra-estruturas escolares, deverão atender necessidade de atingir as metas de escolaridade universais.
 
Formação no exterior

 
Relativamente ao facto de algumas escolas não cumprirem com a carga horária e ministrarem em horários impróprios, as direcções provinciais de Educação Ciência e Tecnologias deverão tomar as medidas que se impõem, para que a disciplina de educação física seja ministrada dentro dos critérios normativos. A reunião sugere ainda que a formação realizada no exterior do país, no âmbito dos acordos bilaterais, tenha o efeito multiplicador na província de origem dos seus beneficiados
 Algumas escolas, particularmente privadas, mantêm acordos de cooperação com o exterior, no capitulo da educação, sem o conhecimento do Ministério. Por isso, o encontro metodológico recomendou que todos os acordos de cooperação que as escolas privadas pretendam estabelecer com exterior, cujos assuntos estejam relacionados com a educação, devem atender à pertinência e à eficácia, no sentido da melhoria da qualidade do ensino em todas as suas vertentes, e ser submetidos ao Ministério da Educação, para que sejam analisados e rubricados.
Durante o discurso de encerramento, o governador da província, Armando da Cruz Neto, afirmou que a realização do colóquio sobre educação e o encontro metodológico em Benguela constituiu um exemplo de mobilização participativa, na busca de consensos, através da reflexão conjunta de questões que constituem valores acrescentados, que vão permitir uma melhor utilização de recursos, a melhoria da prestação de serviços e a implementação de medidas práticas.
O II encontro metodológico da Educação abordou, durante 3 dias, dentre outras questões, a recolha de dados estatísticos e a instalação e funcionamento do sistema de transição de dados via satélite, a base material de funcionamento do ensino privado, bem como a disparidade dos preços praticados nesses estabelecimentos de ensino.
A estratégia da alfabetização e a recuperação do atraso escolar, a qualidade do ensino, a atribuição de competências no âmbito da reforma educativa, gestão do ensino técnico profissional, gestão curricular e o combate do HIV/SIDA nas escolas também foram abordados.

Tempo

Multimédia