Províncias

Novos professores de Benguela iniciam a actividade em Agosto

Maximiano Filipe e Camuanga Júlia|

O sector da Educação da província de Benguela conta com mais 1.488 novos professores, admitidos no concurso público realizado em princípio deste ano, que iniciam a sua actividade a partir do próximo mês de Agosto.

Professores durante uma acção de refrescamento pedagógico
Fotografia: Mota Ambrósio

O sector da Educação da província de Benguela conta com mais 1.488 novos professores, admitidos no concurso público realizado em princípio deste ano, que iniciam a sua actividade a partir do próximo mês de Agosto.
De acordo com o director provincial da Educação, Joaquim Pinheiro, que prestou esta informação na quinta-feira, os novos professores vão preencher as vagas existentes nas escolas do ensino primário e secundário.
Joaquim Pinheiro disse que o sector está a conhecer algumas melhorias, fruto do programa de investimentos públicos do governo provincial direccionados para o ensino primário, através do fundo da linha de crédito do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).
No âmbito da melhoria do sector, o responsável salientou que a construção de um instituto médio politécnico se encontra em fase de conclusão, estando o projecto a ser custeado pela linha de crédito de Israel, na área de formação técnicoprofissional e formação geral.
Este empreendimento, segundo previsões apontadas por Joaquim Pinheiro, começa a servir a população estudantil a partir do próximo ano lectivo.
O director provincial disse que o alcance dos objectivos do milénio é um dos grandes desafios do sector, daí as várias sessões de formação para os docentes de diferentes instituições de ensino, com vista a dotá-los de metodologias implementadas e aplicadas no sistema de reforma educativa.
Estas formações visam igualmente capacitar os docentes de conhecimentos para manusear os novos equipamentos existentes nas unidades escolares recentemente construídas e apetrechadas.
O director da Educação anunciou ainda que estão a ser desenvolvidos esforços para reduzir o número de crianças fora do sistema de ensino, através da expansão da rede escolar.

Formação em Saurimo

Pelo menos, 15 professores do primeiro ciclo do ensino primário da Lunda-Sul estão, desde ontem, a aperfeiçoar conhecimentos sobre novas técnicas de ensino, num seminário metodológico promovido pelo Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento de Educação (INIDE).
Durante seis dias, o seminário, que decorre em Saurimo, está a abordar, entre outros, temas relacionados com as formas de leccionar, práticas pedagógicas e suas diferenças, bem como a utilização e a interpretação dos programas. A formadora do INIDE, Andreia Oatanha Rodrigues, disse haver a necessidade de se fortalecer os conhecimentos dos professores, através de práticas e estágios pedagógicos, para que seja garantida a qualidade do ensino no país.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, António Muvundeno, incentivou os formandos a aproveitarem esta oportunidade, uma vez que a aprendizagem é um processo contínuo e que ajuda na superação das debilidades de cada técnico.
Pediu ainda aos professores para lutarem contra a falsa ideia de que a escola apenas serve para se obter um diploma, como muitos insinuam. “É preciso que se transmita aos alunos que a escola é uma casa de formação e educação e não apenas um sítio onde se vai à procura de diplomas”, rematou.

Tempo

Multimédia