Províncias

Pista renovada abre ao tráfego

O aeroporto de Benguela reabriu na quinta-feira ao tráfego aéreo, depois de dois anos encerrado para obras de reabilitação. A reabertura da pista foi baptizada por um avião da companhia aérea “Air-26”, que levava a bordo 31 passageiros de Luanda.     

O Aeroporto 17 de Setembro em Benguela foi reaberto ao tráfego na passada quinta-feira
Fotografia: Jornal de Angola

Um avião Embraer-120, da companhia aérea Air26, que levava a bordo 31 passageiros, aterrou quinta-feira em segurança, na pista do aeroporto de Benguela, marcando a sua reabertura ao tráfego aéreo, depois de estar dois anos encerrado para obras de reabilitação.
O EMB-120 fazia a rota Luanda-Benguela e chegou à pista do aeroporto 17 de Setembro, às 10h59 minutos, numa altura em que centenas de pessoas na aerogare ovacionaram o retorno dos voos domésticos à cidade das Acácias Rubras.
O presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (ENANA), Manuel Ceitas, acompanhado de técnicos da instituição, estava entre os passageiros a bordo.
O voo inaugural da nova pista do aeroporto de Benguela está inserido nas festividades dos 35 anos da Independência Nacional.
Falando aos jornalistas, o director regional da ENANA, que responde pelas províncias de Benguela, Bié, Kwanza-Sul e Huambo, Miguel Politano, afirmou que todas as companhias aéreas nacionais vão funcionar no aeroporto com recurso a aviões com peso igual ou inferior a 21 toneladas. A pista mede 1.620 metros de comprimento e 30 de largura e serve para aparelhos como o Embraer-120 ou o Fokker 50, para atender voos domésticos e regionais.
Miguel Politano garantiu que existem todas as condições para que o aeródromo funcione em pleno e vai ser reforçada a secção de recursos humanos e a área técnica para corresponder aos equipamentos modernos instalados.
“O aeroporto de Benguela não vai fazer concorrência à Catumbela, na medida em que aquele aeroporto continua a funcionar com aviões de grande porte, como os Boeing 737, ou ainda aparelhos de médio e pequeno porte”, assinalou. Miguel Politano disse que dadas as limitações impostas pela extensão da pista, o aeroporto de Benguela só pode receber aviões com capacidade igual ou inferior a 50 lugares.
O aeroporto 17 de Setembro em Benguela tem um sistema de balizagem de iluminação definitiva que é importante para a aterragem em condições meteorológicas adversas.Para além do voo Air26, outro avião ao serviço da companhia Air Jet, chegou quinta-feira à pista do aeródromo de Benguela. O aeroporto 17 de Setembro dispõe de um edifício de 1.800 metros quadrados, com salas de embarque para passageiros, balcões de venda de bilhetes ao público, raio-X, check-in, controlo policial e aduaneiro e um parque de estacionamento.
Os edifícios reservados aos passageiros e às mercadorias do aeroporto apresentam uma nova imagem, como resultado de um investimento superior a oito milhões de dólares para proporcionar maior conforto, mobilidade, acessibilidade e segurança aos passageiros e às aeronaves. O rés-do-chão do antigo edifício, completamente remodelado, está projectado para o desembarque de passageiros, o primeiro andar alberga restaurantes e lojas de conveniência, enquanto os serviços administrativos da ENANA, o controlo do tráfego aéreo e os serviços meteorológicos ficam sedeados no segundo andar.
A empreitada de remodelação do aeroporto de Benguela incluiu a sinalização da pista, o restauro do sistema de combate aos incêndios, sistemas de energia e água e de comunicações.
A obra contemplou também melhoramentos na torre de controlo na antiga aerogare, onde ainda estão disponíveis serviços para vistoria de passageiros, tapetes rolantes para bagagens, dois sanitários e uma sala protocolar.

Tempo

Multimédia