Províncias

Ponte no bairro Tchimbuila em construção

Jesus Silva | Lobito

As obras de construção de uma ponte, no bairro Tchimbuila, começaram logo após a colocação da primeira pedra pelo administrador municipal do Lobito, Amaro Ricardo. Com a construção da ponte, o administrador municipal do Lobito salientou que a circulação vai estar facilitada e a zona alta da cidade fica mais desafogada.

Circulação de pessoas e bens mais facilitada com a construção de uma ponte de betão
Fotografia: Jornal de Angola

O engenheiro José Daniel, representante da empreiteira encarregada de levar a cabo a obra, disse que a obra orçada em dez milhões de kwanzas, vai ser erguida num prazo de seis meses.
A ponte tem uma extensão de seis metros e oito de largura e quando concluída ficaz com capacidade para suportar 30 toneladas. Vai ter uma estrutura pré-fabricada e de betão, com uma camada de regularização do pavimento.
O administrador Amaro Ricardo anunciou que além da ponte que liga os bairros “27 de Março” e Tchimbuila II, o acesso à Pomba, Bela Vista e à zona baixa do Lobito, estão planificados pequenos arranjos urbanísticos, para dar mais beleza à cidade.O administrador disse que no futuro a zona vai ter balneários públicos, bancos nos jardins, árvores e equipamentos para os jovens e crianças.
     
Inaugurado  escola do I ciclo

Cerca de quatro mil alunos do bairro Tchimbuila, município do Lobito, na província de Benguela, vão estudar, a partir dos próximos dias, em melhores condições de acomodação e de aprendizagem, com a entrada em funcionamento da nova escola do I Ciclo, construída de raiz.Inaugurada pelo governador da província de Benguela, Isaac dos Anjos, que esteve acompanhado por Amaro Segunda Ricardo, administrador do Lobito, a escola do I ciclo do Ensino Geral dispõe de 23 salas, para albergar alunos nos períodos diurno e nocturno.
O chefe da repartição municipal da Educação, Ciência e Tecnologia do Lobito, Lino Passassy, disse que a escola vai permitir que os alunos deixem para trás várias horas a ter aulas sem condições, debaixo de árvores e sentados em latas de leite ou em pedras e a escrever apoiados nos joelhos.
O director da nova escola de Tchimbuila, Fernando Cruz, sublinhou que as aulas para os 4.311 alunos matriculados este ano lectivo, estão asseguradas por 73 professores, e pediu às autoridades para que sejam aproveitadas as salas da antiga escola, reabilitando-as, para se aumentar o número de vagas, uma vez que existem ainda muitos alunos a precisar de enquadramento no ensino. O coordenador da comissão de moradores do bairro, João Sapalalo, disse que a escola é motivo de grande satisfação para a população, particularmente a dos bairros do Tchimbuila I, II e III e do Pica-Pau.
João Sapalalo referiu que no terreno disponibilizado para a construção desta escola há ainda espaço suficiente para que seja erguida outra instituição do ensino médio. Neste momento, os jovens e crianças da zona aproveitam o local para a prática do desporto.
O responsável do bairro pediu ainda que seja construído um posto de saúde e realçou a necessidade da instalação da iluminação pública, para inibir as acções dos marginais.
João Sapalo solicitou igualmente a reparação da estrada que liga a residência paroquial da Bela Vista, passando pelo Tchimbuila I, II e III, assim como a ligação da segunda localidade ao bairro 27 de Março.

Tempo

Multimédia