Províncias

Problemática da criança debatida em Benguela

Maximiano Filipe | Benguela

O Instituto Nacional da Criança (INAC) em Benguela registou, entre os meses de Janeiro e Abril deste ano, 20 casos de fuga à paternidade, quatro homicídios voluntários por ofensas corporais, oito por abuso sexual e seis ofensas corporais graves.

INAC preocupado com fuga à paternidade
Fotografia: Santos Pedro

O Instituto Nacional da Criança (INAC) em Benguela registou, entre os meses de Janeiro e Abril deste ano, 20 casos de fuga à paternidade, quatro homicídios voluntários por ofensas corporais, oito por abuso sexual e seis ofensas corporais graves.
A directora provincial em exercício, Maria Madalena, que deu a conhecer o facto na abertura da jornada de comemorações do Dia Internacional da Criança, revelou terem sido igualmente registados, no mesmo período, oito casos de tentativa de abuso sexual, tendo alguns deles sido encaminhados para o aconselhamento, enquanto outros considerados mais graves e de natureza cível, foram levados ao fórum jurídico. />Maria Madalena diz que, ao contrários dos anos anteriores, em que constantemente eram registados casos de violação de menores, hoje o quadro é completamente diferente, referindo que graças ao trabalho de sensibilização que o governo da província, o INAC e os parceiros sociais estão a desenvolver para preservar o direito da criança.  
“Estamos a ver a melhor forma de protegermos os direitos das crianças, desde a prestação da assistência médica de qualidade ao acesso à educação gratuita, água potável, energia eléctrica e de espaços de lazer”, referiu.

Tempo

Multimédia