Províncias

Produtos estragam-se por falta de transporte

Habitantes da aldeia de Chipindi, no município do Bocoio, precisam de meios de transporte para o escoamento dos produtos agrícolas para os mercados urbanos, disse, na quinta-feira, à Angop,o soba de Chipindi.

Estradas intransitáveis dificultam escoamento de produtos agrícolas a tempo e hora
Fotografia: Francisco Bernardo

Habitantes da aldeia de Chipindi, no município do Bocoio, precisam de meios de transporte para o escoamento dos produtos agrícolas para os mercados urbanos, disse, na quinta-feira, à Angop,o soba de Chipindi.
Paulino Dondi afirmou que devido à falta de transportes, os habitantes, na maioria camponeses, enfrentam sérias dificuldades na venda de batata-doce e rena, jinguba, gergelim, milho e mandioca nos mercados de Benguela e do Lobito.
A situação, referiu, tem feito com que elevadas quantidades de batata-doce e rena se deteriorem, deixando os camponeses sem quaisquer rendimentos para o sustento das famílias.
A comunidade de Chimpidi, frisou, está empenhada na produção agrícola para o combate à fome e à pobreza.
Como alternativa, disse, os camponeses transportam os produtos aos ombros até à comuna da Canjala, município do Lobito, onde os vendem.
O soba declarou que para inverter este quadro é preciso criar lojas na aldeia, que facilitem a venda e a troca de produtos agrícolas.Chipindi tem oito mil habitantes.

Tempo

Multimédia