Províncias

Progresso chega à localidade de Lombiri

António Gonçalves | Benguela

O governador de Benguela, Armando da Cruz Neto, inaugurou na quinta-feira, na localidade do Lombiri, município do Chongorói, vários empreendimentos sociais, inseridos no Programa de Combate à Pobreza.

Governador Armando da Cruz Neto fez a entrega de um tractor e respectivas alfaias às comunidades da Catamba em Benguela
Fotografia: Sampaio Júnior

O governador de Benguela, Armando da Cruz Neto, inaugurou na quinta-feira, na localidade do Lombiri, município do Chongorói, vários empreendimentos sociais, inseridos no Programa de Combate à Pobreza.
Entre as infra-estruturas inauguradas, encontram-se os edifícios da administração comunal e do comando da Polícia Nacional, a residência do comandante desta corporação e suites para professores. O governador inaugurou ainda um posto médico e casas sociais, e pôs a primeira pedra das obras de colocação de lancis nas ruas.
Na terça-feira, o governador Armando da Cruz Neto tinha visitado os municípios da Ganda e Cubal, onde verificou o andamento das obras da aldeia rural da Catamba (Ganda) e inaugurou o primeiro sistema de abastecimento de água do Tumbulu (Cubal).
Na aldeia rural da Catamba, entregou um perímetro irrigável para fins agro-pecuários à população local e foi informado de que as primeiras 30 casas estão a ser erguidas numa superfície de 100 hectares, em blocos de adobe, revelou o engenheiro Miguel Correia, da construtora. O recurso aos adobes deve-se ao facto dos primeiros materiais de construção serem considerados instáveis e, tendo em conta o terreno argiloso, originavam fissuras nas paredes.
Substituídos que foram os anteriores materiais de construção por blocos de uma mistura de terra local com cimento, a conclusão está para breve, prevendo-se a entrega oficial em finais deste mês.
Durante a cerimónia de entrega do perímetro irrigável, o governador provincial fez a entrega de um tractor e respectivas alfaias, sementes e fertilizantes para as comunidades da Catamba.A par das casas das unidades policial e sanitária, a localidade vai beneficiar de outros empreendimentos, como escolas, armazéns, zonas verdes, lojas e sistemas de água e energia eléctrica.

Perímetro irrigável


O perímetro irrigável, que se situa na margem direita do rio Cubal da Hanha, ocupa uma superfície de 1.748 e outros 492 hectares estão reservados para pastos e estradas.
Tendo em conta as potencialidades agroecológicas da região, foi aprovado pelo Executivo o desenvolvimento de várias acções que visam melhorar as formas de produção actuais.
Numa primeira fase, disse o responsável, o projecto construiu um açude, reabilitou 4.200 metros de vala principal, dois quilómetros de vala secundária e colocou comportas, para uma melhor distribuição de água potável para a rega nos diversos talhões do perímetro. Em curso, soube o Jornal de Angola, está a segunda fase, que compreende o loteamento de parcelas e a sua distribuição às famílias.
Em termos organizacionais, pretende-se trabalhar no reforço institucional da associação criada para o efeito, na comunidade da Catamba, na criação de condições de gestão de talhões e uma comissão de gestão do sistema de irrigação.
Os primeiros 50 hectares de terras já foram loteados e vão beneficiar 100 famílias, sendo meio hectare para cada.

A campanha agrícola


No primeiro ciclo da campanha agrícola, os camponeses pretendem cultivar essencialmente milho, feijão e hortícolas, em pequena escala. Para o efeito, contam com cerca de 1.200 quilos de sementes de milho, dez toneladas de feijão e igual número de fertilizantes simples, 15 de fertilizantes compostos, 25 litros de pesticidas e igual número de fungicidas e menaticidas.
Para o primeiro ciclo de produção agrícola em 50 hectares, a Administração Municipal pretende atingir as 75 toneladas de feijão e cem de milho.
Tendo em conta as novas técnicas de produção a serem introduzidas neste projecto, a produtividade vai passar de 500 quilos para 1.500, em relação ao feijão por hectare, enquanto o milho passa dos 700 para os dois mil quilos por hectare.
Estes índices podem conhecer ainda um crescimento, em função da parceria criada com a Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA) local, sob a supervisão da direcção provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, na garantia da assistência técnica permanente, prevêem as autoridades locais.

Tempo

Multimédia